14/01/2008

Passeios no Brasil, Família e amigos

Sim fééérias! E quem não gosta de férias?! Ainda bem que fomos pra nossa terrinha, Brasil ó pátria amada, salve salve, e tivemos a chance de rever nossas famílias e amigos.
Foram intensos 15 dias de corre corre, ver alguém aqui, almoçar ali, sair daqui, ir ao banco, consertar o carro – UFA! E infelizmente não deu tempo de aproveitar as mil maravilhas com todo mundo… 🙁

Pra ser bem honesta, não deu pra fazer nada direito. Estávamos sempre na maior tensão, pensando no que iríamos fazer e eram 5 programas por dia, não deu mesmo – precisamos agora de férias das férias – mas descontando o cansaço e a tristeza de não poder estar com todo-mundo-ao-mesmo-tempo, ficamos suuuuper mega hiper ultra felizes em poder estar em São Paulo, em poder, nem que tenha sido por 5 minutos, ver nossos amigos e familiares – Foi muito importante. Acho que as pessoas nem percebem o quanto foi importante, pelo menos pra mim foi.

Rever os amigos, do ex-trabalho, das faculdades, da infância, de convivência (a distância agora..), do ex-motoclube, foi significativo para mim. Retomar as relações e avaliar que cada laço que nos une é único e que cada pessoa toca uma parte distinta de nós foi muito importante. Pereceber que cada indivíduo que conhecemos nos transforma, porque somos várias partes compostas, justapostas e sobrepostas, mas apresentamos facetas diferentes, e acreditem, 15 dias foi um período insano para adaptação de situações. Não quero filosofar muito, mas preciso registrar isso. Há muito tempo eu tinha um contato considerável com a minha família materna (tios, tias, primos e primas), mas ao longo dos anos fomos perdendo isso. Nessa minha visita, consegui retomar algumas dessas relações e isso foi extremamente especial para mim. Entrar na casa das minhas tias, absorver muitas memórias (nem que por 10 segundos), relembrar momentos alegres e perceber que tudo que vivi com eles faz de mim ser quem sou hoje, me deu muita clareza de qual é a minha essência e meus valores. Isso é tão significativo para mim, neste momento em que estou morando em um outro país, onde a cultura é outra e os valores também, onde as personalidades e atitudes são tão distintas, que nos perdemos, porque somos o que somos, mas temos que ter flexibilidade o suficiênte para nos adaptarmos. Por esse motivo esses encontros foram importantes – porque eles me disseram – Tarsila, esta é você, essa é sua história, sua essência. – E eu não poderia ser mais grata por isso. Obrigada (por ordem alfabética para não criar tumulto) Tia Dinah, Tio Lu, Tia Neyre, Tia Rachel, muito obrigada mesmo.

Foi muito corrido mesmo, mas comemos churrasco, pizza (de catupiry!) e da santa pizza, hamburguer do chicohamburguer, comidinha japonesa, jogamos boliche, tomamos guaraná, água de côco, derretemos num calor insuportável, ganhamos bolachinhas, bombons, camisetas, beijinhos, abraços e muito, muito carinho.

Também tenho que dar créditos aos amigos que vimos, mas não tiramos fotos (não está em ordem de preferência, viu? Está por núcleos) – Paty, Aline, Danielle, Fê, Jal, Ticão, Verinha, Gigi, Adriano, Thithi, Zé, Ivanito, Camila Brettas, Renata, Dani, Mari, Gabi e Fernanda Guedes. (espero não ter esquecido de ninguém…)

Bom, acho que por hoje é só pessoal. Beijinhos

Postado por: | Comments (0)

Nenhum comentário »

No comments yet.

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.