12/01/2008

Retrospectiva 2007

Ouvi a sugestão de um amigo, o Rafael, e resolvi fazer uma retrospectiva de como foi o ano de 2007 na Irlanda – resumidamente, é claro.

Bom, pra começar, fomos muito bem recebidos por uma ótimo Host Family – Os O’Connors. Conhecemos a Juliana e o Murilo e na escola fomos super bem orientados. Achar um emprego não foi difícil para mim, o Eric já estava empregado quando chegamos. Descobrimos que Dublin é muito diferente de São Paulo. As pessoas são mais frias, o ritmo mais lento e os horários menos flexíveis. Aprendemos que imigrante não leva uma vida fácil e que chuva fininha tem que se tornanr uma parte integrante de cada indivíduo. Aprendemos que a comida faz um pouco da falta, mas que somente as pessoas são insubstituíveis – Papais, Mamães, Irmãos, Amigos – todos são únicos e são eles que fazem a falta aqui. Estar aqui e perder nossos cachorrinhos (eu o Pitt e o Eric o Shelby) foi muito difícil, porque não pudemos nem dizer adeus, por outro lado, não vimos eles sofrerem, mas ficou um vazio muito grande em nós.
Agora eu saí e fui saída do meu trabalho (como assim?!) Assim – no finalzinho de 2007, antes de irmos pro Brasil eu estava decidida em pedir demissão. O trabalho estava muito longe e não estava compensando o desgaste. Seguindo o conselho dos meus colegas, Sean e Geraldine, resolvi aguentar as pontas e tirar minhas férias, porque já tinha direito à elas de qualquer jeito. Exatamente no dia anterior pra eu viajar pro Brasil, meu chefe me chamou e disse que o ano que vem iriam precisar de um outro perfil de profissional e teriam que deixar eu ir… assim, ele me mandou embora sem me mandar embora. Não foi um choque porque eu queria sair e ainda consegui minhas férias, pagas claro. Todo mundo no trabalho ficou em choque, pelo menos aparentaram, mas acredito que tudo tem um propósito e sei que foi melhor assim. Aprendi que no trabalho, as vezes, temos que engolir seco e sorrir. Descobri que não existem somente chefes super legais (como a Carô), mas que existe gente que aproveita de algumas, senão de muitas situações. Desde que o work permit foi negado meu chefe nunca mais tocou no assunto – o que deu muito a entender de que ele não estava se importando muito com isso. Isso me desanimou muito, principalmente porque toda vez que eu falava no assunto ele mudava de assunto…enfim… aprendi muita coisa lá, de verdade! Depois até passo pra vocês o link do meu novo portfolio pra vocês verem. Fiquei muito feliz de ter trabalhado lá, valeu a experiência, mas acho que daqui pra frente prefiro procurar algo part-time, não somente porque é o permitido pelo visto, mas porque vai me estressar bem menos – considerando que tenho que ir pra escola mesmo. A gente vive e aprende. O Eric, por outro lado teve um ano no trabalho super legal. Em menos de três meses aqui quiseram efetivar ele como funcionário período integral e conseguiram tirar o Work Permit para ele. Depois que o permit saiu, ele se empenhou muito e deram um conselho para ele – se comunicar mais e ele tem se aperfeicoado cada vez mais – acredito que logo logo surgirá uma promoção, porque, vocês já sabem, o Eric é funcionário exemplar… 🙂
Durante o ano, a questão de mudar de casas foi muito importante. Morar mais próximo do centro faz toda a diferença – ir ao cinema, passear no centro comercial, tudo está no centro de Dublin. Estou muuuuuito feliz em Killester, porque é uma região residencial, mas próxima do burburinho (lembre-se que burburinho não é nem perto do que a região mais miada de Sampa é…). Na escola, bom, acredito que já aprendi muito inglês, muito MESMO, ao ponto de querer procurar outro tipo de curso, URGENTE! Acho que o curso passou de uma questão de visto pra trabalho, tenho que fazer algo a mais por mim. Algo que eu cresca mais, afinal de contas estou aqui pra ser feliz.
Outra coisa interessante que aconteceu foi voltar pro Brasil e se sentir sem casa. Nos sentimos como visitantes no Brasil, porque já faz muito tempo que não moramos mais lá. Não nos levem a mal, sentimos muito carinho e muito bem-vindos, mas não foi como se morássemos lá. Minha mãe mudou de casa enquanto eu estava aqui, então nem a casa dela eu conhecia. Meu quarto na casa do meu pai virou um escritório, então nem nada meu estava lá. Foi estranho, mas foi o suficiente pra percebermos que não estavamos mais debaixo da asa de ninguém – foi, na verdade, surpreeendente. Mas o mais interessante foi voltar e rever a nossa família daqui – O Mu, a Ju, o Ti, o Thi e a Ma – não é que deu a maior saudade deles e daqui! Acho que por enquanto não voltaremos, já temos um pézinho aqui, e ouso até dizer um pouquinho dos nossos corações.
Quando o assunto são relações entre nós/Irlandeses, bom, posso dizer que eu esperava muito menos das pessoas que conheci e tive muito mais. A Geraldine se tornou uma amiga – não a melhooooor amiga, mas muito amiga. A Anna, se mostrou super minha amiga também, aliás preciso ligar pra ela. o Andy, sempre quebrou mil galhos pra mim e o Sean, que sempre esteve afim de me ajudar com as papeladas do Work Permit e com qualquer coisa relacionada com a imigração. Acredito que farei mais amigos, muitos mais e mal posso esperar pelos que virão em 2008!
Na questão econômica, percebemos a diferença Brasil/Irlanda. No Brasil, trabalhamos muito mais para conseguirmos muito menos. Graças a Deus, conseguimos visitar Barcelona na Espanha, Liverpool e Londres na Inglaterra. Experiências maravilhosas que conseguimos por morar na Europa, considerando uma proximidade geográfica e pelo valor das passagens aereas, que aqui é proporcionalmente muito mais acessíveis.
Bom, fechando o ano em um parágrafo, acredito que 2007 foi um ano de muitas expectativas, algumas frustradas, outras mais do que bem sucedidas, mas acredito que 2007 foi um ano de aprendizados, de valorizaçãao de quem eu sou e de que eu definitivamente preciso ter mais claro o que eu quero e como agir – planejamento. 2007 foi um ano em progresso…

e que venha 2008! Ah, meu aniversário está chegando!!!! Próximo Domingo, dia 20 de Janeiro, hein? (Ano novo, novo ciclo….)

Beijinhos com carinho aos leitores conhecidos e desconhecidos!

Postado por: | Comments (2)

2 Comments »

  1. Oi Tarsila!!!
    Tudo bem?
    Estou planejando minha viagem para morar na Irlanda em 2013 e estou amando seu blog.
    Tanto que resolvi ler desde o inicio.
    Tenho acompanhado sua trajetória e parabéns ao casal e toda sua fé, forca e perseverança.
    Espero poder conhece-los pessoalmente quando estiver morando em Dublin.
    Continuarei na minha viagem virtual e agradeço sua dedicação.

    Abraços 😉

    Comentário by Lidi — 16/08/2012 @ 1:53 am

  2. Oi Lidi,

    Tudo ótimo e com você?
    Obrigada por ler o Vida Na Irlanda desde o começo e claro, podemos combinar um encontro sim, é só manter contato!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 06/11/2012 @ 12:49 pm

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.