01/12/2008

Neve? Neve? Hmmmm….quase lá

Em Novembro de 2007 não fez tanto frio como tem feito esses dias (acredito que seja melhor assim, já que era nosso primeiro inverno não-tropical), nos quais a temperatura varia de 2 graus a -1 (claro que a sensação térmica chega a -5 contando com o sutil ventinho que existe por aqui).
Apesar do frio e do vento os dias tem sido lindos – céu azulzinho, nenhuma nuvem e sem chuva, nem umas gotinhas para contar a história). Mesmo com muito frio, na sexta-feira eu fui ao parque St. Anne’s para tirar umas fotos (esperando que ainda houvesse flores e esquilinhos para serem retratados), como foi boa minha fortuna já que o jardim de rosas ainda tinha bastante flores, contudo os esquilinhos são muito mais difíceis de fotografar, pois além de ficaram pulando pra lá e pra cá, eles não ficam muito perto das pessoas..

Muitas das rosas já haviam secado, mas muitas outras estavam lindas e valeram cada clique da máquina. Olha, apesar do sol estava muitíssimo frio.

Muitos patinhos num campo ao lado do parque

Como se passar frio no parque não fosse o suficiente, o Eric e eu decidimos passar o sábado no centro. Na verdade não decidimos, mas aconteceu. Pela manhã, quando acordamos a cidade estava coberta por uma leve camada de gelo. Como vocês devem saber não neva em Dublin (não? Não mesmo.) Mas isso foi um indicativo de que uma quase-neve pairou pela madrugada, tornando o frio ainda mais, como posso dizer, frio mesmo. Então nos agasalhamos bem (muito bem) e fomos ao centro comprar um presente para o “amigo secreto” que o Eric vai ter no trabalho. Eu juro para vocês que eu descobri como é difícil para os homens (pelo menos para o Eric) comprar presente para alguém – entramos em mil lojas e olhamos inúmeros brinquinhos e correntinhas, mas a única coisa que eu escutava era “Mas eu não conheço ela direito”… então não havia muita alternativa, ou comprava algo ou um vale-presente, porque sem conhecer a moçinha não dava, mas com sorte achamos um conjuntinho de pulseiras neutro que dava conta do recado e estava dentro da verba – veremos como a coisa vai rolar no dia da festa… Como tínhamos um tempinho fomos ao cinema e no caminho achamos uma loja de produto brasileiros (tinha aberto na quinta-feira) que tinha guaraná antártica, suflair, bolacha passatempo, palmito, toddy, leite ninho, sonho de valsa e (em breve) requeijão! Talvez soe banal para vocês, mas nada disso é vendido nos supermercados daqui, então vocês podem imaginar como ficamos felizes ao saber que tudo isso está novamente ao nosso alcançe! Obviamente compramos um pacote de passatempo para comermos no cinema e lá fomos pro Cineworld, cheios de alegria. Assistimos “Madagascar 2” – Sim, sim o filme é engraçadinho e bem feito, mas muito previsível – o primeiro é infinitamente melhor… mas não vou impedir a ida de ninguém ao cinema, cada pessoa tem sua opinião e é melhor que cada um tira sua própria conclusão.

Árvore de natal no centro

Saindo de lá encontramos nossa trupe brasileira (Maíra, Thiago, Murilo, Juliana, Victor e Andréia) perto da árvore de natal de Dublin e fomos patinar no gelo! Aqui em Dublin não neva (como eu já disse anteriormente), mas durante o inverno a 7up monta 3 pistas de patinação no gelo para que os “Dubliners” tenham a chance de apreciar pelo menos um lado positivo do inverno. Munidos de muita risada, boa companhia e ansiedade fomos ao RDS. Lá não tivemos problema nenhum para entrar nem para conseguirmos os patins, mas para andar foi outra história… Digamos assim que nem todos nós temos lá muito equilíbrio e durante a maior parte do tempo estávamos mais preocupados em não cair do que em andar, portanto nossa aventura foi totalmente recheada de risadas, mãos dadas e fotos.

A gente fazendo “fumaçinha” com nossa baforadas no frio
Nossos pézinhos de smurf, prontos para patinar.


Depois voltamos ao centro para jantar. A idéia era comer uma Paella no Salamanca, mas a espera era de 2 horas, então fomos na Milano comer uma pizza, mas a espera era de 1 hora e meia, então acabamos na Pizza Hut, que foi uma boa pedida já que todos ficaram felizes e bem cheios. Como ainda era relativamente cedo, a Andréia (baladeira) convenceu a gente a ir para um bar tomar uma cervejinha de saidera, e lá fomos nós tomar a cerveja com sabor de morango na Porthouse. Eu não bebo normalmente e a cerveja de morango tinha gosto de halls de morango, então era, digamos, até agradável, mas não seria sempre minha pedida. Enfim, já era 11:10 e a gente tinha de correr, porque o último ônibus sai as 11:30. Lá fomos nós correndo pelas ruas de Dublin para pegar o ônibus (ufa!), ainda bem que chegamos a tempo e em 15 minutinhos estávamos no quentinho de casa. Hummm, agora tudo que tínhamos de fazer era passar o domingo inteiro dentro de casa vendo TV – e foi exatamente o que fizemos. 🙂

Depois de um descanso tão merecido eu só espero que vocês também tenham uma ótima semana!

Postado por: | Comments (0)

Nenhum comentário »

No comments yet.

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.