08/06/2007

Nao se vive soh de alegria

Oi gente.

Pois eh, nem soh de alegria a gente vive. Inclusive, faz parte da vida sofrer.
Entao, ha duas semanas atras meu cachorrinho, o Pitt foi diagnosticado com um tumor na pata dianteira. Isso foi muito dificil porque em 1992 a Joaninha, nossa cachorrinha teve de ser sacrificada pelo mesmo motivo: cancer na patinha dianteira – exatamente no mesmo lugar. Nao eh facil. Claro, voces podem pensar, eh soh um cachorro, mas quando se tem um cachorrinho que vive no seu peh e vira parte da familia, eh muito dificil. Eu sinto muito amor pelos bichos, em geral, e quando soube que o Pitt estava doente, e eu aqui na Irlanda, sem poder abraca-lo, ve-lo, cuidar dele…nossa – foi muito frustrante.

Minha mae eh quem fica com o Pitt e com a Estrela e ela estava mudando de casa e ainda tinha que lidar como toda essa tensao. Tudo parecia um flashback da Joaninha, mas eu nao estava lah pra apoiar.

Ontem minha mae me ligou. Disse que o Pitt foi sacrificado. Parecia que todo o sangue do meu corpo tinha parado de circular naquele momento – nao era verdade, nao podia ser – ele estava morto. Como assim? Me diz que nao eh verdade…mas era. Minha mae levou o Pitt em varios medicos que diagnosticaram ele como terminal, e mesmo assim, tentamos fazer de tudo pelo Pitt. Ele estava tomando medicamentos fortissimos e ainda assim sentia muita dor e apesar de comer normalmente, fazer xixi normalmente, ele jah nao caminhava direito, porque tinha as patinhas de tras tortas (nasceu assim) e a da frente estava inutilizada. Ele caia no chao sozinho e chorava muito, tossia muito e nao dormia mais. Era muito sofrimento, para todos nos e especialmente pra ele.


O Pitt tinha 15 anos e foi muitissimo feliz, tenho certeza. Comeu tudo de bom que existe, brincou muito, rolou na grama, tirou minhas Barbies da cama delas pra dormir lah, dava marcha reh pra sair dos lugares, mordeu meu nariz e o da minha mae varias vezes, latiu pro vizinho, pra todos os outros cachorros, suspirou alegre, chorou de saudade…

Hoje nao esta sendo um dia facil e a vida continua. Mas sou muito feliz pelo Pitt ter entrado na minha vida – Pulguento e sujinho desde Palmeira D’Oeste ateh agora, onde a velhice nao podia mais leva-lo adiante.

Se alguem que estiver lendo tiver um bichinho – ame-o muito – porque eh essa a coisa mais dificil de ter um bichinho: Eles morrem antes da gente e a gente sofre muito, mas temos que saber que quando eles se forem, eles tiveram uma vida muito feliz.

Beijos

Postado por: | Comments (8)

8 Comments »

  1. Irei para a Irlanda com meu marido em fevereiro/2011.
    Já conhecia seu blog, mas agora comecei a ver toodos os posts, desde o primeiro.

    Menina, esse post me emocionou muito!! Fiquei triste, perdi minha cachorrinha no último mês (ela estava velhinha já) e também terei que deixar minha outra cachorrinha no Brasil. Sei que já faz tempo que isso aconteceu – em 2007 – mas essa história me emocionou!!

    Parabéns pelo blog, maravilhoso!!!
    =)

    Comentário by Juliana — 02/10/2010 @ 6:10 pm

  2. Olá Juliana!

    Muito obrigada pelo comentário e elogios.
    Este post realmente marca um momento muito importante para mim e eu sei como é difícil perder um bichinho que a gente ama tanto.
    Fique tranqüila, pois a coisa mais bacaca é saber que demos uma vida muito legal para os nossos bichinhos e que eles sempre nos retribuiram com todo o amor que tinham. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 5:06 pm

  3. Olá! Realmente o post é emocionante!

    Eu tenho uma cadelinha chamada Baby Maria… Ela é a loira mais linda que eu já vi na vida, uma vira-latinha muito tranqüila e cheia de personalidade.

    Como vou para a Irlanda também em fevereiro de 2011, sei que sentirei muitas saudades dela (mais dela do que de alguns familiares para ser bem honesta rs).

    Os animais sempre foram uma paixão na minha vida! Mas pudera… São lindos, inocentes e realmente nos dão muito amor!

    Espero que o Pitt tenha sido muito feliz e que Baby Maria aproveite muito os anos de vida dela!

    Um beijo,

    Natália.

    Comentário by Natália — 27/12/2010 @ 7:52 pm

  4. Oi Natália!

    Muito obrigada por comentar. 🙂
    O Pitt foi realmente muito feliz e espero que Baby Maria também seja porque, assim como você, amo amo amo amo animais!
    E pode aguardar que ela sentirá sua falta assim como você e quando vocês se reecontrarem será uma delícia! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 29/12/2010 @ 5:28 pm

  5. Tasila,

    Estou me atualizando no seu blog e lendo todos os post antigos e esse realmente me tocou. Eu tinha uma cachorrinha chamada Pedrita q faleceu um dia depois do meu casamento, e como eu estava viajando não pude me despedir. Isso foi um baque pra mim, e agora tenho outros dois cachorros (Maya e Toni) q estou com o coração apertado em pensar e em uma semana estarei indo para Irlanda e eles vão ficar aqui.

    Bjs

    Comentário by Manoela — 26/03/2011 @ 3:20 pm

  6. Olá Manoela!

    Como foi sua chegada em Dublin? Espero que boa!
    Eu sei bem como é, mas espero que a Maya e o Toni estejam bem e você também, mesmo longe deles, porque realmente dá uma saudadeeeee….

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 15/06/2011 @ 7:51 pm

  7. Ele está num bom lugar, Tarsila. Acredite.

    Comentário by Leonel — 08/01/2012 @ 10:41 pm

  8. Oi Leonel!

    Eu sei disso. A morte é parte da vida e desde que viemos tivemos perdas importantes, mas temos de aprender a lidar com elas, afinal de contas a nossa vida continua. Obrigada pelo carinho.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 09/01/2012 @ 8:25 am

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.