07/10/2010

OFFSET 2010 – Parte 3

O OFFSET 2010 é uma conferência que aconteceu aqui em Dublin entre 1 e 3 de Outubro, promovendo palestras e conversas entre profissionais da área de comunicação visual – diretores de criação, fotógrafos, designers, ilustradores, animadores, coletivos, DJs, etc.

Esta é a terceira parte, portanto, um resumo do meu terceiro dia no OFFSET, se vocês quiserem ler mais sobre o primeiro dia, clique aqui e a mais informações sobre o segundo dia estão aqui.

O último dia do OFFSET 2010 iniciou com uma palestra bem interessante do estúdio de design M&E, da Suécia. Matthew Bolger e Emelie Lindström são o coração da M&E e eles trabalham principalmente no meio musical, produzindo imagens, embalagens e até mesmo vídeo-clipes. Nesta palestra eles mostraram em maior profundidade o trabalho que fizeram com o músico Jape para o premiado álbum Ritual, passando por discussão de conceitos, elaboração de sketches e promoção do produto final.

Em seguida fui assitir uma conversa com o estúdio de design Unthink, que inclusive elaborou toda a identidade visual do próprio OFFSET. O Unthink é formado por Colin Farmer e Noelle Cooper que conpartilharam como eles entraram no mercado de design gráfico na Irlanda. Colin mencionou que a melhor experiência de trabalho dele foi quando ele trabalhou por um ano como atentende da Woody’s (loja faça-você-mesmo, no estilo Peg & Faça), onde ele descobriu que com certeza não era com aquilo que ele queria trabalhar. Eles deram vários conselhos para quem é recém-formado e está procurando trabalho, como tentar adquirir experiência em um estúdio antes de procurar um trabalho, se envolver com a comunidade do design gráfico, participar de eventos e exposições, ser otimista e, finalmente, não se esqueça de criar materiais de auto-promoção, afinal de contas você está vendendo seu próprio serviço através deles.

Permaneci no terceiro andar do Grand Canal Theatre, agora para escutar o que Niamh Sharkey e Chris Haughton tinham a dizer sobre a indústria de livros infantis. Niamph é uma famosa autora e ilustradora de livros infantis e Chris, apesar de ser Irlandês, mora no Reino Unido e seu primeiro livro infantil, “A Bit Lost” acaba de ser publicado aqui na Europa e nos EUA (aliás, já tenho minha cópia autografada! YAY!).

Niamh e Chris sugerem que futuros ilustradores e autores que desejam entrar no mercado de livros infantis busquem conhecer as editoras que acreditam ter maior compatibilidade com seu próprio estilo, tanto de escrita como de ilustração. Aconselham que se tenha em mãos uma apresentação elaborada para as futuras editoras e que juntamente com a história deve-se enviar um “boneco” do livro em preto-e-branco, já que, provavelmente, inúmeras alterações ocorrerão. Chris conta que ele esperava que o livro fosse terminado em 2 meses, mas que o processo todo demorou 10 meses e meio, Niamh, que já é mais familiar com este mercado, diz que um livro infantil demora, em média, 1 ano para ser produzido. Outas dicas valiosas incluem: Se você deseja escrever e/ou ilustrar um livro infantil, leia muuuuuitos livros infantis; saiba quais são seus interesses, pesquise bastante e siga suas idéias!

Então retornei ao palco principal para admirar o trabalho incrível do ilustrador Tomer Hanuka. Os desenhos deste cara são simplesmente qualquer coisa! O uso de cores saturadas, as combinações e traços que lembram, às vezes, mangás são características únicas deste talentoso artista israelense. Ele se aprofundou bastante no desenvolvimento de ilustrações para capas de livros, mostrando sketches e produto final.

Depois do almoço assiti à uma palestra do Wooster Collective, que acabou de compilar um livro com maniestações de arte que acontecem nas ruas, incluindo Graffiti, manifestações, murais, adesivos, ou seja, qualquer tipo de ação artística de se manifesta dentro do organismo da cidade. Um show de curiosidades, incluindo exemplos de todas partes do mundo, até mesmo de São Paulo! U-hu!

Depois de toda essa inspiração urbana chegou a hora de conhecer um pouco sobre a integração da arte digital com o foto realismo de Zach Gold. Ele produz um trabalho muito interessante explorando a dispersão de partículas, tanto em suas fotografias como em seus vídeos e o resultado é muito bonito, algo como uma dança de elementos. Vale a pena conferir o trabalho dele feito para Issey Miyake.

Chegou a hora de conhecer um novo e experimental animador irlandês – David O’Reilly. Este rapaz de 25 anos já trabalhou para o Studio AKA e já ganhou inúmeras premiações por suas animações, mas a animação que ele apontou ter o maior sucesso no YouTube, foi um experimento com o programa Microsoft Paint. Ele produziu uma animação muito tosca chamada Octocat e a colocou na internet sob um pseudônimo (porque nem ele queria falar que o trabalho tinha sido criado por ele próprio) fingindo ser um menino de 10 anos.

Rapidamente o Octocat se tornou uma febre da web e ele ainda fez mais 4 (!) animações no mesmo estilo para dar seqüência à história. Quando a audiência já estava ficando muito alta e fãs estavam criando objetos com o Octocat, David criou um fim para a história deste gato de oito patas e assumiu a autoria do trabalho. O que aprendemos com tudo isto? Às vezes não damos crédito às nossas melhores idéias.

Para finalizar o dia e fechar o OFFSET 2010, assisti à apresentação do internacionalmente famoso ilustrador Gary Baseman. Ele já criou peças para a Nike, Rolling Stone, AT&T e Mercedes-Benz e mesmo que não saiba quem ele é, com certeza já topou com o trabalho dele em algum lugar.

Ele apresentou alguns projetos, contou um pouco sobre suas influências e então descreveu, durante a maior parte da palestra como ele criou um novo universo em suas ilustrações, explicando nomes de personagens, suas características, como este mundo funcionava (os choo-choos, as meninas, as bolhas de desejo…a história não tem fim e daria um livro, de verdade) e como todo este universo é transposto em sua arte, exposições, bonecos e outras peripécias.

Então o OFFSET 2010 chegou ao fim, mas deixou muita inspiração comigo e espero ter compartilhado um pouco dela com vocês! Agradeço aos diretores do evento Richard Seabrooke, Peter O’Dwyer e Bren Byrne por terem feito com que esta conferência fosse possível e espero que ano que vem, tenha mais OFFSET!

Até logo pessoal!

Postado por: | Comments (6)

6 Comments »

  1. Vi os três posts, são muito legais.
    Obrigada Tarsila por dividir com todos nós essa experiência.
    Bjão!!

    Comentário by Raisa — 08/10/2010 @ 8:55 pm

  2. Oi Raissa!

    Obrigada por comentar!
    Fico feliz em saber que você gostou dos posts sobre o OFFSET e quem sabe o ano que vem você também não vai?

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/10/2010 @ 9:19 pm

  3. Adorei saber desse evento!
    Obrigada!

    Comentário by Haiana — 11/10/2010 @ 3:32 pm

  4. Olá Haiana!

    O OFFSET é demais mesmo! Vale a pena conferí-lo e vamos torcer para que haja um em 2011!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/10/2010 @ 9:51 pm

  5. Olá Tarsila!
    Chegarei em Dublin dia 24/02 para uns meses de intercâmbio. Seu blog está me ajudando bastante e me deixando ainda mais ansioso.
    Sou publicitário, mais voltado para a área de marketing. Percebi em seus posts, e em outros sites também, que conseguir trabalhar nesse ramo aí é quase impossível, ainda mais pra quem tem um inglês meia boca. Não que eu planejasse isso, mas sonhar não custa nada (realizar sim hehe).
    Enfim… espero poder encontrar pessoas criativas por aí e aprender coisas legais.

    Parabéns!

    Comentário by Carlos Torres — 20/01/2011 @ 4:45 pm

  6. Olá Carlos!

    Fico muito feliz em saber que o Vida Na irlanda está lhe ajudando bastante. 🙂 E pode ficar tranqüilo que a ansiedade é parte do processo.
    Aqui você poderá conhecer pessoas da área, mas vai ter de procurar o lugar certo, buscar fazer conexões, este tipo de coisa porque o mercado é pequeno, assim você poderá conseguir algo, nem que seja contatos, afinal de contas, networking é tudo, não é mesmo? Como você disse, sonhar não custa nada, mas fazer sim, então se é o que você quer, arregaçe as mangas e corra atrás. Como eu sempre digo, mantenha seu objetivo em mente pois assim é mais fácil chegar lá!

    Espero ter ajudado e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 24/01/2011 @ 1:20 pm

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.