27/07/2011

Uma visão GLBT da Irlanda

Atendendo aos pedidos dos leitores GLBT do Vida Na Irlanda entrevistei dois rapazes super bacanas que contam como é a experiência de ser um casal homossexual e morar na Terra dos Leprechauns.

Lhes apresento… o Junior e o Eric!

O Junior e o Eric vieram para a Ilha Esmeralda há quase 1 ano e considerando que a Irlanda é um país extremamente católico temiam encontrar uma sociedade opressora pois não sabiam se a união de casais do mesmo sexo era aceita aqui e se tinha casamento gay ou não. Apesar de existir bastante informações sobre a noite GLBT, o que interessava para eles eram informações sobre a Vida Na Irlanda de modo geral e por isto eles decidiram compartilhar a experiência deles. Quer saber mais? É só continuar lendo…

Por que vocês decidiram vir para a Irlanda e para Dublin?

Junior – É uma longa história, pois originalmente íamos para a Nova Zelândia onde já até tínhamos emprego garantido, mas infelizmente nosso agente de intercâmbio morreu e não deu andamento ao nosso processo. Eu já tinha pedido demissão do meu trabalho, estávamos devolvendo o apartamento e tínhamos 15 dias para sair. Sem poder continuar com nossos planos recorremos à agência CI – Central do Intercâmbio – como segunda opção. Ofereceram Dublin na Irlanda, mas nem sabíamos onde era.

Quais eram suas expectativas e medos ao optar pela Irlanda?

Junior – A CI nos garantiu que em menos de 1 mês teríamos emprego aqui e nossa experiência não foi assim. Ganhar em euros e pagar dividas no Brasil pode ser uma boa idéia, mas a realidade que encontramos ao chegar no pico da crise foi outra. Hoje vemos que o país está sofrendo reflexos da crise mundial, pois vemos que conseguir um emprego aqui é difícil, mas se quiser há trabalho. O Intercâmbio cultural serve para conhecer pessoas e viajar, mas não é mil maravilhas, tem de passar pelo choque cultural, estudar e trabalhar muito.

Eric – Eu sou originalmente de Cuiabá e quando mudei para São Paulo tinha medo da aceitação, mas de São Paulo para cá não vi muita diferença, na verdade acredito até que a aceitação do público GLBT aqui é melhor. Temos a expectativa de que encontraremos um mundo totalmente diferente. Por exemplo, aqui é natural dizer que tenho um marido, as pessoas nem questionam até mesmo quem é “macho” entende, é normal. No Brasil muitas pessoas hesitam quando você fala que é homossexual. Aqui nos sentimos parte da sociedade, mas é claro que existem pessoas que tem preconceito, como em qualquer lugar do mundo.

Vocês já foram vítimas de preconceito e discriminação na Irlanda?

Junior – Nunca fomos agredidos por causa do homosexualidade. As pessoas que conhecemos daqui tem a cabeça muito aberta e quando digo que sofria preconceito no meu país eles não acreditam. Quando falamos que somos um casal normalmente os brasileiros nos perguntam como descobrimos que éramos gays, os estrangeiros já perguntam se planejamos ter uma família.

Eu não sofri discriminação por ser homossexual em nenhum dos trabalhos que fiz aqui e o engraçado é que já deixei de ser selecionado para trabalhar na H&M porque a gerente alegou que não gostava de brasileiros por causa de uma experiência prévia, outra forma de preconceito.

Contudo vejo que em muitos casos quem traz o preconceito na própria cabeça é o brasileiro. Já deixei de ser convidado para jantares em casas de pessoas brasileiras porque acreditam o fato de sermos um casal será visto de forma errada pelos irlandeses, mas ninguém perguntou aos irlandeses, o preconceito está na cabeça delas.

Como é o comportamento dos irlandeses em relação a homosexualidade?

Eric – Na minha opinião, acho que somos super bem aceitos. Quando digo que sou casado me perguntam qual é o nome da minha mulher ou marido, ou seja, não preciso explicar minha vida, compreender as diferenças já está implícito. Claro que depende muito do caráter da pessoa, do homossexual ao se comportar em sociedade, pois a base das relações é respeito e isso é necessário para qualquer ser humano.

Como vocês se sentem na Irlanda?

Junior – Nos sentimos super bem e não queremos voltar. Aqui conquistamos liberdade de expressão de ser quem somos, pois podemos andar de mão dada e ser carinhosos. No Brasil sinto que ainda há muito preconceito, além da associação da homosexualidade à promiscuidade e ao HIV. Isto é muito difícil.

Como vocês vêem a comunidade GLBT em Dublin?

Eric – Por exemplo, fomos à parada gay e vimos que o objetivo daqui é a igualdade civil. As pessoas tem expectativas de mudança em relação à parada, as pessoas vão apoiar munidas de apito e placas andando na rua, é um protesto que pede igualdade social e civil. Publico gay daqui é reservado, não são inoportunos.

Junior –  Já percebemos que a parada em São Paulo é diferente e que o objetivo se perdeu. Aqui o objetivo é realmente a igualdade civil, pois não vimos ninguém se beijado, só de mãos dadas. Em São Paulo é uma festa quase sem propósito.

Quais os lugares mais freqüentados pelo público GLBT?
Qual é sua opinião sobre eles?

Junior – Há um café chamado Lemon Jelly no Italian Quarter que é bastante freqüentado pelo público GLBT e as baladas que são mais famosas como a The Dragon e The George (veja mais aqui), mas não saímos muito, não é o nosso estilo.

Eric – Não freqüentamos lugares restritos ao público GLBT, porque nos sentimos à vontade para ir em qualquer lugar. Gostamos de freqüentar casas de amigos, ou ficamos em casa mesmo, vendo tv e comendo pipoca.

Quais são suas expectativas em relação ao futuro?

Eric – Queremos ficar na Irlanda, mas há uma série de coisas envolvidas que determinarão isso. Eu  espero ter uma família, adotar uma menina e ter um emprego fixo aqui na Irlanda.

Junior – Hoje mesmo trabalhando vendendo jornal moramos em um lugar confortável, comemos muito bem e se quisermos podemos ir para uma balada ou viajar. No Brasil não temos esse conforto e aceitação, queremos que tudo seja mais igual, mas normal e esperamos que tudo fique melhor.

Junior e Eric muito obrigada pela entrevista e por compartilhar a experiência de vocês aqui na Terra dos Leprechauns. Desejo toda a sorte do mundo em seus futuros empreendimentos para um mundo mais igualitário.

Postado por: | Comments (46)

46 Comments »

  1. Meus flatmates! lindoooos! gostei da entrevista, e tenho certeza que dará tudo certo pra voces ficarem aqui em dublin! hehehe beijos! Boas perguntas, tarsila!

    Comentário by Polyana Rech — 27/07/2011 @ 6:38 pm

  2. Olá Polyana!

    Obrigada pelo comentário e carinho. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:14 am

  3. Eles jogam monopoly e comem pipoca!!!!! A tv ta quebrada hahahahahhaha

    Comentário by Felipe — 27/07/2011 @ 7:07 pm

  4. Olá Felipe!

    Obrigada pelo comentário. Bom, pelo menos Monopoly (Banco imobiliário) é divertido e demora horas e horas e horas!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:15 am

  5. Lindos demais e super exemplo de casal e de pessoas! Adoro os dois e torço muito por vocês, em qualquer lugar do mundo. Essa questão ainda tem muito que ser desenvolvida no Brasil, mas vocês superaram todas as dificuldades por aqui e merecem a felicidade que estão vivendo. Tudo de bom pra vcs, amores!

    Comentário by Patrícia Monteiro — 27/07/2011 @ 7:17 pm

  6. Olá Patrícia!

    Obrigada pelo comentário e por compartilhar sua opinião! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:16 am

  7. First of all, adorei a entrevista, o Jr até deixou o Eric falar rs. Esse preconceito que o Júnior falou que os brasileiros tem é verdade. Eu, que morava numa república com gays, tenho amigos gays e achava que não tinha preconceito algum, estranhei quando vi aquele simpático casal recém chegado em Dublin andando abraçado no Temple Bar. Talvez se todos os casais homossexuais andassem de mãos dadas nas ruas, eu não teria estranhado. Enfim, esses dois são uns amores e quem conhece eles sabe que o amor deles é maior do que qualquer preconceito idiota e que eles estão juntos pro que der e vier.

    Bjos Tá, Jr e Eric

    Comentário by Ana Claudia Damasceno — 27/07/2011 @ 8:22 pm

  8. Olá Ana!

    Obrigada pelo comentário e pelo carinho!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:17 am

  9. Amei a entrevista!! Eu sou suspeita em falar pq eu adoro de coração os dois! São duas pessoas iluminadas, de bem, engraçadíssimos (rsrsrs). Eu desejo mto que eles continuem aqui, pois se depender da força de vontade e determinação de ambos eles vão longe! Beijo pro casal! 🙂

    Comentário by Denise Lanzoni — 27/07/2011 @ 10:08 pm

  10. Olá Dê!

    Obrigada pelo comentário e pela opinião. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:18 am

  11. Ah eu adorei ver o casal aqui no vida na irlanda, amo esses dois e eles são exemplos de coragem e determinação, adorei a entrevista e espero q eles alcancem tds os objetivos! bjos 🙂

    Comentário by Danubia Matos — 27/07/2011 @ 10:49 pm

  12. Olá Danubia!

    Obrigada pelo comentário e elogios. Também espero que eles alcancem tudo que buscam!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:18 am

  13. Muitos e muitos aplausos para a Tarsila pela entrevista e para os meninos pela garra!!! Parabéns e sucessos sempre 🙂

    Comentário by Moacy Junior — 28/07/2011 @ 1:02 am

  14. Olá Moacy!

    Obrigada pelo comentário, é um prazer poder contribuir mostrando diferentes aspectos da Vida Na Irlanda.
    É um prazer rever seus comentários por aqui. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 10:19 am

  15. Oi Tarsila. Eu tô sempre lendo o Blog hehehe… Só deixei de responder um tempo mas não deixo de te acompanhar não viu ? A gente só não se cruzou por Dublin ainda hahahaha… Tudo de bom pra você. A propósito, vi teu portfolio de desenhos… que talento hein menina???? 🙂 Bjinhos.

    Comentário by Moacy Junior — 28/07/2011 @ 11:05 am

  16. Olá Moacy!

    Não tem problemas, só celebrei o fato de revê-lo por aqui. 🙂
    Muito obrigada pelos elogios, desenhar e ilustrar são outras paixões que tenho além da Irlanda.
    E ainda falta nos trombarmos por Dublin, portanto se você me encontrar é só chamar.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 12:23 pm

  17. Tarsila, sou mãe do Ulgem Junior, ou melhor do Eric e do jr, tenho muito orgulho desse meninos, torço pra que tiudo de certo pra eles, eu os amo de paixão, to morrendo de saudades, peço a Deus todos os os dias pra que eles sejam muitos felizes. Abraços, Cida

    Comentário by Cida — 28/07/2011 @ 5:04 pm

  18. Olá Cida!

    É um prazer ver seu comentário aqui. Assim como você, muitas pessoas tem muito orgulho deles e tenho certeza que desejam o melhor para os dois!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/07/2011 @ 6:38 pm

  19. Desejo toda felicidade pros dois! Torço muito por vocês e por seu sucesso! Amo vocês demais, beijo da madrinha!

    Comentário by Daniela Andriani Ribeiro — 28/07/2011 @ 6:48 pm

  20. Olá Daniela!

    Obrigada pelo comentário!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 29/07/2011 @ 8:59 am

  21. Muuito bom o post. A entrevista ficou perfeita. Sou gay e sei muito bem como é viver no Brasil. Acho que um dos motivos da minha ida para Dublin é a busca por uma vida mais respeitada e o convívio com gente mais tolerante. Brasileiro é bicho bobo, atrasado, debochado… Espero não me decepcionar com os europeus. Sorte p vcs garotos 🙂 … bjão Tarsila e obrigado pela força.

    Comentário by Felipe — 28/07/2011 @ 11:37 pm

  22. Olá Felipe!

    Obrigada pelo comentário e elogio. 🙂
    Uma pena que você tenha tido experiências negativas no Brasil por ser gay e espero que não encontre muitos obstáculos para se adaptar à Vida Na Irlanda. 🙂 Desejo muita sorte nesta aventura!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 29/07/2011 @ 9:13 am

  23. Olá Tarsila!!! Sou irmã desse gato aí.. o Junior ( a paixão da minha vida!!!) Saudades imensa deles, mas é o sonho dele morar fora do nosso país. Mas torço demais pela felicidade dos dois, desejo tudo de melhor e em dobro. Eles estão bem e eu estou muiiiitooo feliz por isso. Amo demais esses meninos…. bjos para vcs… Camila

    Comentário by Camila — 30/07/2011 @ 4:58 pm

  24. Olá Camila!

    Obrigada pelo comentário, é um prazer vê-la por aqui e quem sabe um dia você não dá um pulinho na Irlanda?

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/08/2011 @ 10:07 pm

  25. Gostei da entrevista, só sugiro a entrevistadora que o termo homosexualismo em entrevistas futuras seja substituido por homosexualidade. Já que a terminação “ismo” era denominada quando a homosexualidade ainda era considerada uma patologia “doença”. #fikadika. Bjs fraternos

    Comentário by Fabrício — 30/07/2011 @ 11:31 pm

  26. Olá Fabrício!

    Muito obrigada pelo toque e já corrigi o texto. Vivendo e aprendendo!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/08/2011 @ 10:26 pm

  27. Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Ameeeei a entrevista dos dois LINDOS! eu moro na Irlanda eu acho ULTRA, MEGA, POWER gay Friendly aqui! Nunca sofri preconceitos pela parte geral, inclusive dos meus amigos Brasileiros, nunca me senti deslocado! é claro, que rola aquele “falso moralismo” do tipo, “ahh! tenho vários amigos gays, não tenho preconceito algum” mas na verdade a pessoa te exclui de tudo pelo fato de ser gay! acho bacana a convivencia HT, BI, GAY ao mesmo tempo, nao sou do tp que anda em bando, frequento todos os lugares, e acho que sem dúvida alguma, lugares gays são como “home sweet home” pra quem é gay.
    Adorei a entrevista, espero ver mais e mais por aqui!
    Felicidades ao Casal LINDOOO!!!
    espero encontrá-los pra umas boas risadas, e uns bons “drink” … hehehe
    E um mega abraço pra vc Tarsila, que é linda, descolada, desencanada e que dá espaço para todas as tribos, sobre todos os assuntos.
    Abraços!!!

    =)

    Comentário by RODRIGATS — 02/08/2011 @ 3:12 pm

  28. Oi Rodrigats!

    Estava com saudades dos seus comentários por aqui. 🙂 Muito obrigada por escrever e compartilhar conosco a sua experiência na Terra dos Leprechauns; e é claro, muito obrigada pelos elogios, é um prazer poder contribuir com as mais variadas experiências no Vida Na Irlanda!

    Mil beijinhos

    Comentário by Tarsila — 03/08/2011 @ 5:45 pm

  29. Muita luz e sucesso na vida de vcs. Ótima matéria. Estes dois são um exemplo de caráter e de que um casal homossexual pode sim ter uma vida fora do mundo Estereotipado das novelas e da noite gay. Infelizmente aqui no Brasil ainda lutamos muito com o preconceito, como podemos ver no comentário do amigo abaixo. Pra estas pessoas que dizem “envergonhar o brasil” digo o seguinte: O que envergonha o Brasil são os políticos corruptos, os evangélicos que se aproveitam das massas e a incrível ignorância do povo em ainda querer segmentar e conceituar o indivíduo pelo que ele gosta, pela sua cor, sua preferência, etc. Isso sim é vergonhoso. Quanto ao casal da reportagem, estes sim possuem valores familiares, vão a luta para conseguir seus objetivos e são exemplos de pessoas que todos (heteros, gays, bi, etc) devemos seguir. Muita prosperidade pra vcs.

    Comentário by Alexandre — 06/08/2011 @ 5:15 pm

  30. Olá Alexandre!

    Muito obrigada pelo comentário e por compartilhar sua opinião. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 10/08/2011 @ 2:38 am

  31. Primeira vez que estou visitando o blog, e de cara encontrei essa materia, adorei meninos! Muito sucesso pra vocês, espero que consigam morar aí permanentemente, parabéns!

    Comentário by Jess — 10/08/2011 @ 6:07 am

  32. Olá Jess!

    Obrigada pela visita e comentário! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/08/2011 @ 11:27 am

  33. Ou seja, os irlandeses são menos preconceituosos e tem a mente mais aberta, apesar de serem de maioria católica. Mas eu acho que os católicos aceitam melhor as diferenças. Os envangélicos é que são mais radicais.

    Comentário by Beatrix Rosier — 18/08/2011 @ 10:41 pm

  34. Olá Beatrix!

    Bom, aí eu não sei. Acredito que qualquer generalização é complicada, pois sempre há excessões. É interessante ver seu ponto de vista, mas de modo geral os irlandeses são bem abertos sim. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 19/08/2011 @ 3:15 pm

  35. É claro que nem todos os católicos aceitam numa boa, assim como nem todos os evangélicos são radicais.
    Mas, baseado nos católicos e nos evangélicos que eu conheço [e não são poucos] em geral, os católicos parecem aceitar melhor.

    Comentário by Beatrix Rosier — 19/08/2011 @ 8:54 pm

  36. Olá Beatrix!

    Obrigada pelo comentário e por compartilhar sua visão. 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/09/2011 @ 8:23 am

  37. Hey Tarsila! Olha eu novamente!
    Estou adorando o Vida na Irlanda [Parabéns mais uma vez! x)] e me surpreendi positivamente com esse post! Muito bom ver que a moderadora do site é uma pessoa com a mente aberta e livre de preconceitos!

    Desejo ao casal muitas bençãos e tudo de bom! Parabéns pela entrevista!

    Comentário by Michelly Goia — 21/09/2011 @ 4:33 am

  38. Olá Michelly!

    Obrigada pelo comentário. Eu sou super a favor da liberdade de expressão e tenho sim a mente muito aberta, afinal de contas temos de aproveitar o que o mundo tem de melhor e ficar nessa de “preconceito” é uma bobagem, há coisas muito mais importantes na vida.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/09/2011 @ 10:04 pm

  39. Parabens pelo site, absorvi muita coisa interessante. Pretendo ir em 3 meses para a Irlanda com a minha namorada estudar e trabalhar…porem estamos receosas pois temos um ingles muuuito basico…mass..vamos ver no que dah…mais uma vez…parabens, fair play rs bj

    Comentário by cristiane — 16/12/2011 @ 2:44 am

  40. Olá Cristiane!

    Muito obrigada pelo comentário e carinho, fico muito feliz que o Vida Na Irlanda proporcionou que você absorvesse coisas interessantes e espero que tudo dê muito certo para vocês duas! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 07/01/2012 @ 2:55 pm

  41. Que legal a entrevista!
    Tirei o dia para dar uma olhada nos posts gerais, pois só conhecia os titulados, e me deparei com essa surpresa agradabilíssima.

    Eu estava com muito medo de como seria a reação da sociedade irlandesa em relação à homossexualidade, mas não tive problemas com isso não.

    Estou em Galway, uma cidade pequena, mas imensamente carinhosa e receptiva. Tive mais olhares entre a diversidade cultural da minha sala, como russos e sauditas, do que com os irlandeses que são naturais e gentis. Não que as pessoas de outras nações tenham sido deselegantes, pelo contrário, com o tempo tudo vai ficando mais gostoso. É uma questão cultural apenas, pois o novo sempre causa um certo espanto.

    Acho uma pena apenas o fato de eu não ter uma opção de pub GLBT aqui. Sei que há duas boites, mas ainda não conheci, estou na fase de me deixar encantar pela música ao vivo e hospitalidade dos pubs, mesmo héteros, rs.

    O preconceito estava na minha cabeça. Na hora que fui viver a prática, me senti como todos: seres humanos comuns.

    Abraço, Tarsila!

    Comentário by Gio Carlos — 01/05/2012 @ 9:25 pm

  42. Olá Gio,

    Obrigada pelo comentário.

    Fico muito feliz que você tenha gostado da entrevista e fiquei ainda mais feliz em saber que Galway é tão receptiva e que, assim como Dublin, está de braços abertos para todas as outras culturas e cabeças. E é ótimo saber que viver na prática esta liberdade está sendo muito bom!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/05/2012 @ 9:40 pm

  43. Achei o máximo a entrevista,eu estava procurando algo do tipo pq eu e minha namorada estamos indo p/ Dublin em Agosto e estavamos pensando em como seria a aceitação ao homosexualismo. Gostaría-mos de fazer amizades, nem chegamos, mais ja estamos anciosas para saber mais de tudo!!!Sera muito bem vinda uma ajudinha…rsrsrs

    Valeu Tarsila

    Comentário by Renata — 10/06/2012 @ 4:21 am

  44. Olá Renata,

    Obrigada pelo comentário e fico feliz em poder ajudá-las! 🙂
    Espero que tudo dê certo e que vocês atinjam todos seus objetivos.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 16/07/2012 @ 1:36 pm

  45. Nossa, mt bacana! Me dá mais força pra ir morar na Irlanda…. Cansei desse mundo brasileiro hipócrita onde dizem que é um país gay friendly…. de todos os casos de agressão no mundo contra o público GLBT, 44% são no Brasil…. 🙂

    Comentário by Bernard — 19/01/2014 @ 2:19 pm

  46. Olá Bernard!

    Muito obrigada pelo comentário. É uma pena que o número de agressões seja tão alto no Brasil. Não é que não exista gente com cabeça fechada e agressiva na Irlanda, porque existe, mas com certeza aqui é muito mais tranquilo.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 20/05/2014 @ 8:52 am

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.