30/09/2010

Imigrando: Choque Cultural

Olá Pessoal!

O post de hoje é sobre um assunto muito pertinente à quem deseja morar ou ter uma experiência de vida em outro país – O Choque Cultural.

Estou escrevendo para ajudar quem está vindo para cá e para quem está aqui, pois o choque cultural é um fenômeno que explica muito do que passamos quando estamos “entrando” em uma cultura diferente – Nossas emoções, percepções e ações são influenciadas pela nossa adaptação ao novo país, portanto é importante considerar os “altos e baixos” que vamos encontrar na nossa jornada.

Não quero dizer que morar em outro país vai ter um impacto terrível sobre nós, não é isso. É apenas o fato de que se ajustar à uma nova cultura, pessoas, regras, hábitos e convívios sociais causa um certo estranhamento porque estamos saindo da nossa “zona de conforto” para explorar um “novo mundo”. É uma coisa que acontece com TODOS nós e em graus diferentes. Isto aconteceu comigo quando eu fui fazer o último ano do colegial nos EUA e quando vim para a Dublin. Como eu disse, acontece com todos nós, querendo ou não.

A teoria do choque cultural envolve quatro fases e nem todas as pessoas passam por todas as fases. Alguns indivíduos não permanecem tempo suficiente em um outro país para passar por todas elas, mas em geral é comum nos sentirmos assim:

1a. Fase: Lua-de-mel

Esta fase é a mais romântica e cor-de-rosa. Nos encantamos e ficamos fascinados com tudo que é novo: O modo de vida, pessoas, lugares, comidas, etc. Isto geralmente dura algumas semanas e ficamos maravilhados. É um período de observação e novas descobertas. Somos gentis com os locais, mas ainda buscamos conhecer pessoas do nosso próprio país para nos adaptarmos melhor.

Como toda lua-de-mel, uma hora ela chega ao fim e quando a rotina começa a ser criada as dificuldades começam a surgir.

2a. Fase: Choque Cultural ou Crise

Em aproximadamente três meses (mais ou menos dependendo da pessoa) as diferenças entre a nova cultura e a antiga começam a ficar bem distinas e isto pode gerar ansiedade. Aquela sensação de “tudo novo” pode ir embora e podemos nos sentir frustrados ou irritados por termos problemas com a comunicação, acomodação, amigos, escola, trabalho, principalmente se tivermos de lidar com situações desconhecidas, ofensivas e até mesma inaceitáveis.

Estas reações, muitas vezes, são decorrentes das limitações com a língua, mas podem estar relacionadas com hábitos de higiene, segurança, alimentação, etc. Muitas pessoas sentem falta da comida típica do país de origem, outros sentem falta do ritmo de vida, alguns acreditam que os hábitos do novo país são irritantes, nojentos, incômodos, etc. Neste momento toda a euforia pode se tornar frustração conforme as diferenças ficam cada vez mais claras.

Nos sentimos assim porque podemos estar estressados ou preocupados demais em lidar com novas questões e problemas e isso pode chegar a afetar nosso sistema imunológico, nos deixando doentes e tristes. Nos esforçamos para aprender uma nova língua, cultura, hábitos, etc e nosso corpo sente esta mudança, pois estamos nos exercitando mentalmente muito mais do que o normal para processar a nova cultura.

Também começamos a fazer coisas diferentes do que fazíamos no nosso próprio país. Trabalhamos com coisas que jamais imaginaríamos, fazemos horários diferentes, tudo é diferente! O fato de não sabermos ao certo onde nos “encaixamos” nos deixa inseguros. Muitas vezes somos profissionais desenvoltos na nossa própria área de atuação de trabalho e agora temos de “aprender” um trabalho novo onde temos de nos virar para nos comunicar. Ufa!

Além disso passamos por todo este processo longe das pessoas que conhecemos, portanto nosso senso de “identidade” fica meio perdido e nosso bem-estar pode ficar comprometido. Algumas pessoas até desenvolvem pequenas “paranóias” temporárias, pois nos sentimos um “peixe fora d’água”. Se sentir deprimido durante esta fase é muito comum, mas aguente firme que é só uma fase e ela acaba. Prometo.

É importante saber que algumas pessoas sofrem o Choque Cultural sem passar pela fase da Lua-de-mel. Podemos sentir falta do nosso país, da nossa comida, amigos, família e até mesmo das coisas que não gostávamos. Neste caso, evite se isolar, dormir demais ou agredir as pessoas ao seu redor. Crie um diário, passeie com os amigos, converse com sua host-family e busque se adaptar à nova cultura como talvez jantar com a família, mesmo que não esteja com muita fome e dormir nas horas normais mesmo sem sono, para que seu corpo começe a se ajustar ao novo país também.

3a. Fase: Ajuste

Entre 6 e 12 meses já estamos nos sentindo bem mais adaptados à nova cultura e às nossas novas rotinas. Já conhecemos as situações mais corriqueiras e sabemos lidar com as coisas do dia-a-dia, é quando tudo se torna mais “normal”. Começamos a bolar “soluções” para nos adaptar à nova cultura, descobrindo como incorporar novos e velhos hábitos. Aceitamos o novo país de forma mais positiva e percebemos que nossas queixas não eram tão bem fundamentadas assim, reduzindo nossa frustração e irritação. Quando começamos a reagir de forma positiva ao nosso redor, estamos, de fato, nos adaptando.

4a. Fase: Adaptação

Nesta fase já nos “sentimos em casa”. Nos sentimos confortáveis em participar da nova cultura. Nos adaptamos, mas não nos “convertemos”, pois podemos adotar alguns aspectos da nova cultura, mas ainda mantemos a cultura de origem, garantindo nossa identidade. Esta fase é conhecida também como uma fase bi-cultural onde as duas culturas convivem em harmonia.

Espero que este post ajude aos leitores do Vida Na Irlanda a entender mais profundamente o que podem passar ou estão passando e que lidar com a adaptação ao novo país não é nenhum bicho de sete cabeças. Somos todos humanos e passamos por momentos bons e ruins, mas se soubermos lidar com eles, as coisas ficam muito mais fáceis, não é mesmo?

Beijos com trevos!

Postado por: | Comments (58)

58 Comments »

  1. achei muito intereçante e instrutivo… 🙂

    Comentário by Diego Sinhorini — 30/09/2010 @ 11:59 pm

  2. Oi Tarsila,

    Excelente post! Imagino que não deve ser fácil estar em outro país, uma nova cultura, e se sentir um estranho no ninho.

    Mesmo assim, tenho vontade de morar em outro país.

    Parabéns pelo post.

    OBS: O Eric ficou engraçado na foto! =)

    Beijão!

    Comentário by Rodrigo Scotto — 01/10/2010 @ 12:50 am

  3. Muito bom Tarcilia, na ansiedade de ir pra outro país muitas vezes a gente nem pensa que esse choque vai acontecer. É bom estar preparado!

    😉

    Comentário by Karina — 01/10/2010 @ 1:58 am

  4. Muuito bom!

    Comentário by Marcos — 01/10/2010 @ 3:30 am

  5. Nossa, Tarsila, descreveste exatamente o que eu passei quando fui morar em Santiago, no Chile! Na minha experiência, a lua-de-mel durou pouco, depois veio a crise, que durou um pouco mais mas não muito, então veio o ajuste, que durou aproximadamente uns dois meses, acredito, e por fim, realmente a adaptação! No final, eu já me sentia tão em casa que foi um verdadeiro sofrimento ter que voltar ao Brasil, chorei muito, foi terrível, lá já era o meu lar! Até hoje não me adaptei de volta aqui, ainda sinto que lá é minha casa e sou apaixonado perdidamente por aquela cidade. Como são as coisas néé? Caso alguém leia e fique triste por mim, não fiquem, vou passar um mês lá final do ano pra matar a saudade! Êêê! \o/ Hahaha…

    Comentário by Adryan — 01/10/2010 @ 4:04 am

  6. vc descreveu muito bem…o que acontece com a gente…eu ando irirtadíssimo com a irlanda, com o idioma, com a falta de higiene dos irlandeses (literalmente falta de banho e limpando o nariz, na sua frente, sem o menor constrangimento e os arrotos e peidos – disgusting.) principalmente com a comida daqui…ja cheguei a passar mal, com o cheiro de certos alimentos dentro do Tesco ( aqueles frangos assados com molho para ficarem escuros)…tem solução…temmmmmmmmmmmm…estou indo embora de vez…cansei.

    Comentário by wagner — 01/10/2010 @ 7:34 am

  7. muito bom mesmo!! parabens!!!

    Comentário by Thalles — 01/10/2010 @ 11:47 am

  8. Adorei o post….. Vou enviar aos meus amigos que também vão fazer intercambio… agora quanto aos comentarios, só daqui a 1 ano que vou responder e ver qual será minha reação de ficar aproximadamente uns 9 meses fora….. rs… bjossss

    Comentário by Erika — 01/10/2010 @ 11:55 am

  9. Oi Tarsila!!

    Nossa incrível como no pico de minha impolgação não tinha para para pensar nesse choque cultural…

    Agente para pra pensar e acaba entendendo que vai ser como uma “FERIAS” EM “CASA”…

    ótimo post Tarcila e garanto que não só a mim, mas a maioria dos intercambistas foi de grande valia.

    Obrigado e parabens pelo trabalho
    !

    Comentário by gusthavo vidal — 01/10/2010 @ 2:38 pm

  10. Mto bom!!! Todas as nóias que eu tinha…=D

    Todo mundo fala que são mil maravilhas, mas como tudo na vida tem um lado positivo e negativo, não era possivel que ngm fosse falar dos contratempos que as pessoas vivem num intercâmbio…

    Ainda bem que cabe a cada um dar ou tirar o peso real das coisas!!!

    Irlanda que me aguarde, no primeiro semestre de 2011=P

    Arrasou no post.

    Comentário by Renata Peres — 01/10/2010 @ 3:28 pm

  11. Ótimo post Tarsila!!!
    Beijos

    Comentário by Guilherme Goretti — 01/10/2010 @ 3:52 pm

  12. Faço das palavras da Renata (acima) as minhas!!!! Show!!!!

    Comentário by Michelle Rodrigues — 01/10/2010 @ 4:00 pm

  13. Eu sempre soube, hahaha!

    Eu tenho a impressão que a minha fase Lua-de-Mel já começou, hehe estou maravilhada com a Irlanda mesmo antes de ir…
    Quanto a crise, tenho certeza que vou passar, pois sou muito apegada a minha familia e a tradição gaúcha, mas sei que tenho o apoio deles aqui, e que vou passar por isso, afinal estou lutando tanto por esse sonho, que não vou deixar as diferenças me fazerem desisitir OU PIOR, ficar lá deixando de aproveitar tudo que a Europa tem para oferecer!
    M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O o post, parabéns!!!

    Comentário by Carina Portal — 01/10/2010 @ 5:09 pm

  14. Que legal Tarsila, muito bom.
    Parabéns!!
    Espero que a minha segunda fase passe bem rápida e chegue logo a terceira. hehehe
    Obrigada!!
    Bjão!!

    Comentário by Raisa — 01/10/2010 @ 5:43 pm

  15. Oi Tarsila

    Foi maravilhoso ler o seu post e saber por quem já passou por todas essa fases, que tudo é uma questão de adaptação, já estou me preparando para ir , e você a maga do abrir mente principalmente pra quem nunca saiu do Brasil, te admiro muito sempre tem uma coisa nova e boa para nos ensinar. Espero ficar quase todaminha estada na faze lua-de-mel sou bem otimista e estou estudando muito e aprendendo muito com vc.

    Obrigada

    Bjinhos bom final de semana

    Comentário by Sônia — 01/10/2010 @ 9:53 pm

  16. Ola Tarsila, pelo pouco que li você e seu blog são uma benção, voce pode passar msn seu ? abraços

    Comentário by Andrea Apolinario — 01/10/2010 @ 10:07 pm

  17. Olá Diego!

    Seja bem-vindo ao Vida Na Irlanda!
    Obrigada pelo comentário. Pois é, entender o processo do Choque Cultural foi muito importante para mim quando eu estava nos EUA e me ajudou a passar pelos momentos mais difíceis com mais tranqüilidade.

    Fico feliz em poder contribuir e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 2:53 pm

  18. Olá Rodrigo!

    Não é sempre que nos sentimos “um peixe fora da água”, mas há momentos em que nos sentimos um pouco deslocados, mas isto é apenas parte do processo e morar em outro país é uma experiência muito bacana que eu acho que vale muito a pena!

    P.s. O Eric ficou excelente nesta foto, por isso achei que merecia estar no post. 🙂 Hehehe!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 2:55 pm

  19. Olá Karina,

    Obrigada pelo comentário! Às vezes estamos tão empolgados que não imaginamos muitas coisas e acho importante termos todas as informações possíveis para que, quando encontramos um obstáculo sabermos como lidar com ele. 🙂

    Espero que o post tenha ajudado e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 2:57 pm

  20. Olá Marcos!

    Muito obrigada pelo comentário! Fique à vontade para explorar outros posts, deixar comentários ou entrar em contato comigo caso tenha alguma dúvida!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 2:58 pm

  21. Olá Adryan!

    Pois é, passamos por tudo isto mesmo, não é? Eu me lembro exatamente como foi minha experiência nos EUA e como você confirmou, a sua no Chile. Acho que a parte mais difícil é voltar para o Brasil depois de ter nos adaptado à nova cultura, pois depois de uma experiência desta nos tornamos pessoas diferentes, não acha? Fico feliz que você vai matar sua saudade de Santiago, pois é muito bom retomar estes laços tão especiais.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:00 pm

  22. Olá Wagner!

    Puxa vida, é uma pena que a sua experiência esteja sendo tão desagradável. Eu pessoalmente fiquei irritada com algumas coisas, mas felizmente não tive problemas com a higiene dos Irlandeses pois os que eu conheci eram bem limpinhos. É realmente triste saber que você está passando por um período tão down e espero que em breve você veja que há também um lado muito bacana em estar aqui.

    Fico triste em saber que você se cansou e que vai voltar ao Brasil, contudo lhe desejo uma ótima viagem e espero que, em alguma parte de você, a Irlanda permaneça como uma boa lembrança.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:05 pm

  23. Olá Thalles!

    Muito obrigada pelo comentário! Espero vê-lo mais por aqui!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:05 pm

  24. Olá Erika!

    Muito obrigada pelo comentário e por enviar estas informações aos seus amigos. Depois não deixe de passar aqui e deixar sua experiência sim, será muito bacana ter seu feedback.

    E se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:07 pm

  25. Olá Gusthavo!

    Obrigada pelo comentário e elogios! É verdade, podemos estar tão empolgados que não imaginamos que iremos, de fato, “morar” em outro país e isso implica no estabelecimento de uma rotina, que, às vezes, pode nos estressar, não é mesmo?

    E você já sabe, se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:09 pm

  26. Olá Renata!

    Muito obrigada pelo elogio! Fico feliz em receber seu comentário e mostrar que o choque cultural e as “paranóias” que podemos ter é uma coisa MUITO NORMAL to bom!!! E como você disse, cabe a cada um de nós superar os momentos difíceis e se estivermos preparados para isto, acredito que isto se torna bem mais fácil. 🙂

    A Irlanda te aguarda em 2011 e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:12 pm

  27. Olá Guilherme!

    Muito obrigada pelo elogio e comentário! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:13 pm

  28. Olá Michelle!

    Muito obrigada por escrever e espero que as informações te ajudem a superar eventuais obstáculos e que tudo dê muito certo!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:13 pm

  29. Olá Carina!

    Muito obrigada pelo elogio! Você já está na fase lua-de-mel? Rsrs Aproveite porque ela é muito gostosa e espero que seu “choque cultural” seja sutil e breve, pois agora você já sabe como lidar com ele e não desista, às vezes nos sentimos meio “pra baixo”, mas a temos de nos lembrar que o MUNDO é um lugar INCRÍVEL e que temos sempre a ganhar com uma atitude positiva!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:16 pm

  30. Olá Raisa!

    Muito obrigada pelo elogio e pelo comentário. Tenho certeza de que se você se manter ativa, envolvida e interessada você passará rapidinho pelo “choque cultural” e logo se sentirá mais adaptada 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:18 pm

  31. Olá Sônia!

    Primeiramente muito obrigada pelo seu comentário e pelos elogios, fiquei até sem graça. 🙂 Eu tenho uma atitude bastante positiva em relação à vida e acho que isto contribui bastante para a vida no exterior, pois passamos por momentos difíceis, mas saber lidar com eles com serenidade e otimismo com certeza torna as coisas melhores. Fico feliz em saber que posso contribuir com o seu “aprendizado”, pois estamos sempre aprendendo coisas novas no mundo, não é?

    Beijinhos e se precisar é só escrever, viu?

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:21 pm

  32. Ola Andrea!

    Seja bem-vinda ao Vida Na Irlanda!
    Muito obrigada pelos elogios. Eu quase não uso meu MSN, mas sempre respondo meus e-mails e os comentários do blog, portanto fique à vontade para me contatar por estes canais que ficarei feliz em ajudá-la.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 3:23 pm

  33. Tá, adorei o post, ele vai ajudar a nós intercambistas a entender porque os sentimentos se misturam. Obrigada, bjo!

    Comentário by Danubia — 04/10/2010 @ 9:13 pm

  34. Oi Dan!

    Muito obrigada pelo comentário! Espero que as informações contribuam para que os intercâmbistas saibam lidar da melhor maneira possível com o processo de adaptação, pois todo mundo passa por isto. Afinal de contas é melhor estarmos preparados, não é mesmo?

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/10/2010 @ 9:27 pm

  35. Oi Tá, querida!

    Aiii, vc escreveu exatamente o que acontece! E talvez o que tenha acontecido comigo tbm. Já estou entrando no meu quarto mÊs de Dublin, então acho que agora as coisas fluirão! Tbm né? Dps de tantos problemas e preocupações, não era pra menos! Rs.

    Obrigada, vc é uma querida!
    Beijos!
    DE

    Comentário by Denise — 06/10/2010 @ 9:59 pm

  36. Olá Tarsila…
    Vc me parece ser uma pessoa muito positiva e disposta ajudar os intercambistas. Eu estou sonhando muito em ir pra Irlanda. Ja fiz um pacote em uma agencia de intercambio e pretendo ir em janeiro ou fevereiro de 2011. Meu maior medo é um só: só tenho um mês de acomodação…não conheço ninguém na Irlanda… como faço pra conseguir uma acomodação depois desse período??? Queria sua opinião, pois eu ja queria sair do Brasil com isso mais ou menos “arranjado”…o q vc me diz??? Espero sua resposta. Se puder me manda por emial …ou até mesmo me forneça o seu..Muito obrigada!!!
    Bjs! Silvany

    Comentário by Silvany Castro — 08/10/2010 @ 12:18 am

  37. Oi De florzinha!

    Pois é, é importante sabermos o que pode acontecer, assim conseguimos lidar melhor com situações desconfotáveis, que, inevitavelmente acontecem com todos nós, não é mesmo?

    Espero muito que as coisas dêem certo, especialmente porque agora elas tem tudo para dar! 🙂

    Magina querida, fico feliz em ajudar!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/10/2010 @ 8:32 am

  38. Olá Silvany!

    Seja bem-vinda ao Vida Na Irlanda!

    Muito obrigada pelo comentário. 🙂
    Pois é, eu sou uma pessoa bem positiva mesmo e busco ajudar os intercambistas porque acredito que todos merecem ter uma experiência de vida no exterior bacana!
    Vamos ao seu medo: Um mês de acomodação é mais do que o suficiente para você procurar um novo lugar para morar, mas você terá de procurá-lo sim. A maioria das pessoas que vem fazer intercâmbio não conheçe ninguém na Irlanda e isto não é um problema, viu? Bom, eu escrevi um post sobre como alugar uma casa/apartamento aqui:

    http://www.vidanairlanda.com/2010/05/se-virando-em-dublin-como-alugar-casa.html

    mas pode ficar tranqüila, porque é muito comum encontrar pessoas na sua própria escola que estão procurando, como você, acomodação, ou que tem vagas disponíveis nas casas deles. Aproveite para criar amizades e conversar com as pessoas, isto pode lhe render grandes ajudas.

    Espero ter ajudado e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/10/2010 @ 8:37 am

  39. Oi Tarsila….Quanto tempo ne?
    Adorei o post….
    E impressionante como tudo isso acontece mesmo….passei por todas essas fases….
    Ja faz 3 anos e meio que estou aqui em Dublin e acho que acabei desenvolvendo uma 5a. fase, o amor por esse pais…

    Beijos…
    Husky…

    Comentário by Andreia — 08/10/2010 @ 9:05 am

  40. Oi Husky!

    Seja bem-vinda ao NOVO Vida Na Irlanda!
    Pois é, chegamos aqui na mesma época e ja estamos na fase do AMOR – rsrsrs! Adorei esta 5a fase!
    Precisamos nos encontrar, não é mesmo?

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/10/2010 @ 9:09 am

  41. Muito bom seu post, Tarsila.

    Estou na lua de mel, tudo muito legal, mas acontece de vez e quando de me perguntar o que estou fazendo aqui, por que, e me sinto muito sozinho quando estou sozinho. Mas dura pouco, tenho evitado essas fases.

    Vamos ver, estou adorando a Irlanda.

    Comentário by Marcondes — 10/10/2010 @ 12:55 am

  42. Olá Marcondes!

    Tudo bem? Está na sua lua de mel? Que bacana, espero que ela seja maravilhosa e que o choque cultural seja mínimo. Continue assim, animado, passeando, conhecendo pessoas que vai dar tudo certo!

    E se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/10/2010 @ 9:36 pm

  43. Oi de novo Tarsila! Como sempre, excelente postagem! Encontraste um novo seguidor! 🙂 Eu linkei seu blog ao meu, tá?
    Abração!

    Comentário by Émerson — 11/10/2010 @ 3:52 am

  44. Oi Émerson!

    Muito obrigada pelo comentário e elogios! Fico feliz em saber que você já virou meu seguidor e que linkou o Vida Na Irlanda ao Brasirlandês. 🙂 Aliás, já o adicionei ao blogroll.

    Muito obrigada e beijinhos!

    Comentário by Tarsila — 11/10/2010 @ 9:46 pm

  45. Puts me indentifiquei muito com esse post no meu caso, eu estou passando pelo Choque Cultural sem passar pela fase da Lua-de-mel sinto muita falta do meu mundo….Mas acho que é o que vc disse, saímos da nossa zona de conforto, estamos num mundo novo, pessoas novas e o novo da um pouco de medo…..não temos controle de toda a situação,adorei o post

    Bjs

    Comentário by Bruna Santos — 26/02/2011 @ 12:06 am

  46. Olá Bruna!

    Fique tranqüila que o choque cultural passa, eu prometo. Hang in there!
    Veja as oportunidades que estão ao seu alcançe, vá conhecer um museu, experimentar um restaurante novo, converse com alguém, dê risadas. 🙂 Vai dar tudo certo e se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2011 @ 12:15 pm

  47. Oi Tarsila! Adorei o post!
    Veja você, vim parar na Bolívia!
    Nunca, mas nunca mesmo passou pela minha cabeça que eu pudesse um dia morar aqui…
    Só para resumir como vim parar aqui…
    Meu sogro, há 30 anos atrás comprou uma empresa aqui e agora, aos 86 anos, precisava de um dos filhos para ajudá-lo… sobrou para quem? Para meu marido…
    Na verdade, o que eu quero dizer é, quando você sai do seu país e vai para um melhor, é muito bom, mesmo com todas as dificuldades, uma hora você acaba se adaptando… como dizem… tudo na vida é questão de se acostumar… agora, quando você vem para um país financeiramente e culturalmente pobre, eu te garanto, é muuuuito, mas muuuuuito difícil, ainda mais quando você não tem opção! Ou fica, ou fica.
    Por outro lado, acho que devemos nos permitir conhecer mesmo o lugar, sem muitas comparações e julgamentos, tentando extrair (o que é possível), de melhor. Digo por mim, querendo ou não, estou aprendendo uma língua nova, mesmo que por enquanto esteja mais em uma fase de portunhol, uma hora eu chego lá.
    A minha fase de lua de mel infelizmente nunca existiu, foi mais uma fase de raiva, por tudo ser tão diferente, o lugar, a comida, as pessoas, o humor, a higiene, os produtos… tudo, tudo. Agora estou na fase de aceitação (ajuste + adaptação), acho que é isso.
    Adorei mesmo tudo o que você escreveu.
    Até!

    Comentário by Sandra Dantas — 17/08/2011 @ 11:09 pm

  48. Olá Sandra!

    Na Bolívia? A vida nos apresenta oportunidades muito interessantes, não? Como você disse, vamos nos adaptando e mesmo passando por um período difícil, você agora busca ver as coisas de outro modo, e isto é fantástico. Parabéns por ter superado esta parte mais “pesada” da adaptação e desejo muita alegria daqui para frente!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 19/08/2011 @ 2:50 pm

  49. Oi Tarsilla…
    Comecei a ler.. e ler novamente este post… já fiz isso umas 500 vezes! haha
    Já cheguei na fase de choque cultural!!!
    Espero realmente que essa fase passe!
    é como se sentir um estranho no ninho, longe de casa, dos amigos…
    Pensei q seria diferente, e até fácil…
    Parece que ler estes posts do teu blog.. ajuda a facilitar as coisas por aqui!
    Obrigado! srs sem o seu blog, pensaria q ficaria na fase do choque cultural pra sempre..
    Agora é torcer pra essa fase passar logo!
    Bjos

    Comentário by Marcelo — 30/01/2012 @ 9:19 pm

  50. Olá Marcelo!

    Obrigada pelo comentário.
    Fique tranqüilo que o choque cultural passa! Hang in there! 🙂
    Eu fico muito feliz em saber que os posts do Vida Na Irlanda o estão ajudando e mesmo passando por um choque, você entrará em uma rotina e as coisas se tornarão melhores. Espero que dê tudo certo!
    E se precisar é só escrever!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 10/02/2012 @ 5:00 pm

  51. Muito bem ponderado esse post, Tarsila! Trata-se de um post atemporal, pois sua utilidade é permanente.
    Parabéns!
    Leonel

    Comentário by Leonel — 23/06/2012 @ 2:28 am

  52. Olá Leonel,

    Obrigada pelo comentário e realmente eu acho que este é um post muito importante. 🙂 Fico feliz que tenha gostado.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 16/07/2012 @ 5:03 pm

  53. Tarsila,
    voce é excelente. otimo post!!!!

    Comentário by Felipe — 15/11/2012 @ 7:54 pm

  54. Olá Felipe!

    Muito obrigada pelo carinho! 🙂

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 10/01/2013 @ 12:42 pm

  55. Que texto bacana! Adorei, Parabéns!!! Quem sabe encontro vc na rua ai em Dublin.. darei um grito pra falar um oi!!!! abraços

    Comentário by Claudia Maria — 26/08/2013 @ 7:52 pm

  56. Olá Claudia!

    Muito obrigada pelo carinho!
    Se me vir por aí pode gritar que será um prazer falar “oi”.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/05/2014 @ 10:02 am

  57. Minha fase 2 começou agora, depois de 5 meses. Demorou, né? Richard disse que ficou surpreso que não tive crise antes. Não sinto falta de SP, mas trabalhar com algo que nunca me imaginei fazendo tem me deixado meio “sem chão”. No final, vai dar tudo certo! Obrigada pela dica de post!

    Comentário by Bárbara Hernandes — 29/08/2013 @ 2:38 pm

  58. Oi Bárbara!

    Obrigada pelo comentário! Realmente demorou, mas todos nós passamos por isso. O bacana é poder olhar pra trás e entender como todo o processo funciona e ver que, no final das contas, a gente supera as dificuldades.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/05/2014 @ 11:12 pm

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.