02/01/2013

Estudar na Irlanda: Galway Cultural Institute

Olá Pessoal!

A primeira entrevista de 2013 fica por conta de um casal nota 10 que estudou no Galway Cultural Institute! Também a primeira entrevista que o Vida Na Irlanda fez com alunos de Galway.

Sem mais delongas lhes apresento…o RICARDO e a FLÁVIA!

O Ricardo e a Flávia são de Balneário Camboriú – SC e juntos decidiram embarcar na aventura de ter uma experiência no exterior. Ricardo é formado em jornalismo mas trabalhava com comércio exterior e logística, ele combinou a vontade de ter uma experiência fora com o estímulo dado por seu pai, que é espanhol. A Flávia é formada em Administração de Negócios e sempre teve vontade de se comunicar em inglês, mas não via como progredir no Brasil, então aliou-se ao namorado e fez as malas para a Irlanda. Hoje depois de volta para o Brasil eles estão colhendo os frutos deste investimento, Quer saber o quê os dois acharam da experiência de estudo por 1 ano em Galway? É só continuar lendo…

Qual é o seu nome e idade?
Ricardo Labajos, 30 anos.
Flávio Maria Pinto, 26 anos

Qual foi o seu curso e escola?
Ricardo – General English no Galway Cultural Institute, o curso de 6 meses de aulas e 6 meses de férias.
Flávia –
Também fiz o mesmo curso, mas depois de terminar os 6 meses de aula, comprei mais 3 meses de aula.

Há quanto tempo vocês ficaram na Irlanda e por quanto tempo estudaram no Galway Cultural Institute?
Ricardo e Flávia – Chegamos na Irlanda em abril de 2011 e voltamos para o Brasil em março de 2012.

Por que vocês escolheram a Irlanda?
Ricardo – A gente chegou na Irlanda por ser o país que oferecia o melhor custo/benefício. Estávamos considerando EUA, Austrália, Canadá, Inglaterra, mas havia dificuldades com visto e com preço e a Irlanda oferece facilidade de entrada. Pensando nisso a gente viu como funcionava para ir na Irlanda.

Flávia – Eu me senti mais confortável em estudar na Europa por saber que tinha a irmã do Ricardo na Espanha, mas como eu não tenho o passaporte espanhol, tivemos de pensar e escolher um país onde correríamos menos risco de ser barrados na entrada.

Por que vocês escolheram Galway?
Ricardo –  Escolhemos Galway por ser uma cidade fora da capital, onde acreditávamos que tivesse menos possibilidade para falarmos português, um lugar para nos privar do contato direto com outros brasileiros. Tínhamos a intenção de diminuir a tentação de falar português e obrigatoriamente se virar em inglês.

Flávia – Outro fator foi que a escola que pesquisamos em Dublin era muito mais cara que a que vimos em Galway, cotamos preços com a Kaplan e na CES (Centre of English Studies).

Vocês escolheram qual agência de intercâmbio? Por quê?
Ricardo e Flávia – Escolhemos a agência de intercâmbio STB e optamos por ela porque era uma das que oferecia contato face-a-face, ou seja, eles tem uma agência na cidade de Balneário Camboriú, onde fomos, e eles ofereciam oportunidades em Galway. Queríamos ter a segurança do contato com uma agência física.

Valeu a pena contratar o serviço de uma agência?
Ricardo – Não me arrependo de ter contratado os serviços porque na época eu não tinha informação nenhuma. Hoje temos mais confiança e possivelmente faríamos as coisas por conta própria, até porque já temos amizades com a diretoria da escola e é muito mais fácil falar e negociar tudo depois da experiência.

Flávia – Até mesmo os três meses que eu comprei de curso depois dos primeiros 6 meses de aula comprei diretamente com a escola.

Qual foi o seu objetivo em estudar na Irlanda e no Galway Cultural Institute?
Ricardo – Sempre trabalhei com logística e tinha a necessidade de falar inglês. Meu principal objetivo foi aprender inglês para um fim profissional. Se você tem o domínio da língua para o trabalho, do inglês comercial, acredito que a parte pessoal fica mais simples.

Flávia – Meu objetivo em estudar na Irlanda foi para pegar fluência. Quando estava trabalhando na coordenação do curso de medicina no Brasil percebi que se eu tivesse inglês avançado ou melhor eu teria mais oportunidades. Foi um objetivo mais pessoal pois tinha a necessidade de ver filmes, escutar e entender músicas, mas também para ter mais oportunidades de trabalho, foi uma grande realização pessoal.

Que tipo de acomodação vocês escolheram? Como foi esta experiência?
Ricardo e Flávia – Optamos por ficar em host-family. A Flávia tinha um restrição com gatos, então pedimos para sermos acomodados juntos em uma casa sem gatos e deu tudo certo, a experiência foi ótima. Se tivéssemos escolhido a dedo a família com quem ficarmos não teria sido tão bom, de fato a família era perfeita.

A mãe trabalhava na escola e o pai era segurança, e ainda tinham 3 crianças, todos eram muito amorosos e já recebiam pessoas como host-family há 10 anos. As crianças ajudavam a gente a se comunicar, porque sabiam que a gente não falava direito, mas não faziam chacota não, elas sabiam lidar com estudantes estranhos. Ele foram tão legais que durante nossos aniversários eles fizeram festa com bolo surpresa, também na páscoa, que foi quando chegamos, ganhamos ovos de chocolate.

Ficamos com eles por 4 semanas e eles até nos ajudaram a procurar um lugar para morar, nos dando dicas para lidar com os corretores irlandeses.

Qual é a sua opinião sobre seu curso?
Ricardo e Flávia –  O curso foi muito bom. Tivemos bastante sorte pois todos os professores foram muito atenciosos, mas estudávamos bastante e éramos incentivados a escrever. Eles sempre estavam disponíveis para tirar dúvidas, todos os funcionários da escola foram bem acolhedores e apesar de ter prova toda semana o curso fluía.

O material achamos bem compatível e satisfatório, incluía alguns livros e os professores sempre levavam material extra como vídeos, xerox e nos estimulavam para ver TV, ler jornal, etc.

Tivemos um experiência muito legal com os diretores e coordenadores, de quem sempre tínhamos apoio. Era gostoso estudar lá, afinal de contas eles davam suporte total, inclusive emocional. Um exemplo foi no Natal, quando a diretora fez um jantar na casa delas para os alunos que estavam longe das famílias.

O Galway Cultural Institute supriu nossas necessidades e expectativas. Não temos do que reclamar, o que imaginávamos foi o que acabou sendo.

O que vocês acham da infra-estrutura do Galway Cultural Institute?
Ricardo e Flávia – A infra-estrutura é muito boa. A escola é limpa, organizada, tem áreas amplas, bastante luminosidade, cafeteria tranqüila, um local para comer agradável e um mezanino externo bem legal. A estrutura é toda moderna com cadeiras e mesas muito boas.

São 4 andares com um pequeno auditório, na verdade uma sala que integrava outras turmas e onde aconteciam as festas. Os irlandeses, assim como os brasileiros, gostam de uma festa então tinha festa de Halloween, de Comidas do Mundo, etc.

Qual a sua opinião sobre o horário e duração das aulas?
Ricardo – As aulas eram entre as 9h e 13h. Era um horário bom e para trabalhar era ok.  Às vezes eu entrava no trabalho às 14h às vezes às 15h, então de vez em quando era apertado, mas era possível.  Não era tão cedo, acho que era um horário bom para acordar.

Flávia – Não tive problemas com o horário. Achei ele bom e como trabalhei como cleaner durante a tarde, gerenciar o tempo foi tranqüilo.

Quais eram  as nacionalidades dos professores no Galway Cultural Institute?
Ricardo e Flávia – Todos eram irlandeses, não sabemos se há outros professores de outras nacionalidades.

Quantos alunos estavam na sua sala/curso? De quais nacionalidades?
Ricardo – No final do meu curso eu estava no nível avançado e na minha sala tinha por volta de 12 alunos. Éramos 3 brasileiros, mas havia alunos da coréia, do México, da Bélgica, da Suíça e da Arábia Saudita.

Flávia Quando eu cheguei na Irlanda estava no nível pré-intermediário e tinha 3 brasileiros em uma sala de 10 alunos, mas os professores não deixava a gente sentar um ao lado do outro. Havia também alunos da Espanha, México, Venezuela, Suíça, Coréia, Arábia Saudita, era bem misturado.

Quanto cheguei no nível upper-intermediate foi quando estudei com mais brasileiros, mas como eu tinha mais facilidade para falar inglês eu evitava falar português, chegaram a achar que eu era espanhola.

E sempre tinha alguém monitorando as conversas na hora do intervalo para que todos falassem inglês.

O que você acha que Galway Cultural Institute oferece de diferencial?

Ricardo – Acredito que o diferencial é o apoio pessoal, a organização e as atividade extra-curriculares, pois havia um cronograma de atividades a tarde, que era bem organizado. Tinha corrida de cachorro, futebol, festas, e isto ajuda no aprendizado.

Flávia – Como eu senti muita saudade de casa o suporte psicológico que eles me deram foi o diferencial. Eles estavam sempre em contato com a gente. A escola também tinha boa localização que não era no centro da cidade e até escolhemos nossa casa em função da localização da escola.

Eu também sempre acabava indo para a escola no período da tarde porque eles tem um laboratório de informática com atividades, jogos e biblioteca ampla e variada, tanto de literatura como livros didáticos e vídeos, etc. Se a salas estivessem muito ocupadas eles até liberavam mais salas para o estudo.

O que você mais gostou e menos gostou no Galway Cultural Institute?
Ricardo – O que mais gostei foi ter acesso à diretoria, ou seja, à mais alta cúpula da escola. O Galway Cultural Institute é uma escola de tamanho médio/grande e podíamos falar com eles sobre qualquer problema. Acredito que eles tem uma acessibilidade que não existe em todos os lugares e o que eu menos gostei foi o choque de objetivos entre alunos de cursos de longa e curta duração, pois os de curta duração nem sempre levam o curso tão a sério como os de longa e isto pode acabar prejudicando quem quer estudar mais.

Flávia – O apoio da coordenação e dos donos foi demais, e isto foi o que mais gostei. Se eu não tivesse isso e estivesse sem o Ricardo eu acho que não teria ficado tanto tempo longe de casa e o que menos gostei foi da quantidade de computadores na sala da informática. Eles liberaram Wi-Fi para quem tem o próprio notebook, mas  para quem não tem, acho que poderia ter mais computadores, eram por volta de 14.

Você tem alguma sugestão para a melhoria da escola?
Ricardo
– Durante o verão há um grande influxo de estudantes europeus, que vão estudar por apenas algumas semanas. Acho que neste caso eles deveriam separar os alunos que estudam neste cursos de curta duração dos que estão em cursos de longa duração, porque os objetivos não são os mesmos e o comportamento dentro de sala é diferente. Os alunos de longa duração querem aprender mesmo, é o foco do dia-a-dia, enquanto os alunos de curta duração não levam tão a sério.

Outra sugestão era fazer a atividade de sair a noite para o pub, a chamada Pub Night às sextas-feiras, porque normalmente elas aconteciam as quintas e nas sextas-feiras, que era dia de prova, as salas sempre tinham poucos alunos.

Flávia – Minha sugestão realmente fica sobre o acesso a alguns computadores, porque dos 14 somente 3 permitiam o uso da impressora e isto era um pouco ruim, mas era só isso mesmo.

Você gostou de estudar no Galway Cultural Institute?
Ricardo – Sim, totalmente! Pelo que eu imaginava e pelo valor que paguei, obtive meu retorno.

Flávia – Eu adorei! Foi perfeito. As pessoas que conhecemos foi um pessoal certo. Hoje bate uma saudade, mas sei que como hoje este pessoal não estaria mais na Irlanda sei que a experiência seria tão gostosa como foi. Depois que voltamos para o Brasil já encontramos dois amigos de Porto Alegre que conhecemos na Irlanda.

Como você viu a evolução do seu inglês na Irlanda?
Ricardo – Logo que cheguei estava procurando emprego e fiz um teste e uma entrevista que avalia as regras do supermercado onde eu queria trabalhar. Tive muita dificuldade para fazer esta entrevista, inclusive foi a primeira entrevista de emprego que fiz em toda minha vida, ainda foi em outra língua e na Irlanda!

Acabou que consegui o emprego e no final da minha experiência na Irlanda eu já conversava com o dono do supermercado, dava orientações para clientes e tinha conversas com as pessoas tranquilamente. Ficou claro para mim que o treino do ouvido e a conversação deram um salto muito grande e se eu comparar o Ricardo que chegou na Irlanda e o que saiu vejo muita diferença. Hoje eu escuto músicas em inglês e entendo,  além de notar coisas que antes eu não percebia com muito mais facilidade. Hoje minha percepção é muito superior e só por isso valeu a pena.

Flávia – Hoje em dia entendo muito mais o inglês e tenho muita facilidade. No final do meu curso eu já estava me comunicando super bem. Quando cheguei na Irlanda tinha um receio de falar ao telefone e hoje, no Brasil, trabalho com fornecedores internacionais e nos comunicamos pelo telefone, ou seja, é algo que faz parte do meu dia-a-dia. Eu converso, mando e-mails e falo ao telefone. Vejo que se eu consigo me comunicar e eles conseguem me entender, não tem problema algum.

Você acha que existe diferença entre estudar na Irlanda e no Brasil?
Ricardo – Sim, se você faz um curso de inglês em um país de língua inglesa a tua aula dura 24 horas. No Brasil ela vai durar 4 horas e olhe lá, no desespero você usa o português. Você não tem para onde fugir na Irlanda, uma hora você tem de aprender.

Flávia – Onde estudei no Brasil a professora tentava falar inglês, mas sempre alguém acabava usando o português, na Irlanda a gente realmente vive o inglês.

O que você acha do contato com outros brasileiros na Irlanda?
Ricardo – Depende de você. Você é quem vai se aproximar daquelas pessoas que você acha que valem a pena, porque você vai ter mais afinidade com uns e outros.  Você não precisa fugir de brasileiros. Nós, por exemplo, não nos afastamos de brasileiros, mas tínhamos mais intimidades com alguns do que com outros, e sempre que possível trazíamos alguém de outra nacionalidade para termos de falar inglês, mas claro que havia períodos que falávamos português.

Depende de você fazer o convívio com brasileiros e estrangeiros para você atingir seus objetivos. É até importante ter contato com brasileiros pois é o brasileiro que vai te ajudar, ele entende melhor a sua situação e vai te ajudar quando você estiver precisando, como disse, não precisa fugir. No final das contas é melhor se aproximar de quem não vai te prejudicar, pois depende da relação que você tem e do tipo de brasileiro que você encontra.

Flávia – Com a gente foi tranqüilo pois tínhamos sim brasileiros na nossa roda de amigos e sempre que podíamos trazíamos alguém de outra nacionalidade conosco e todos se educavam para se obrigar a falar inglês, afinal de contas todos tínhamos o mesmo objetivo.  Há grupos de brasileiros que só andam com outros brasileiros e como há brasileiros em tudo quanto é quanto você tem de fazer suas escolhas.

Muitas pessoas tem medo de não conseguir trabalho. Como foi esta experiência para você?
Ricardo – Quando vim para a Irlanda achei que encontraria muitas pessoas que teriam um pouco de dinheiro para se manter no começo dos estudos e depois teriam de trabalhar para se manter, mas estes não eram tantos. A maioria dos brasileiros estudantes em Galway já tinha reserva suficiente para se manter durante todo o tempo de estudo.

Eu consegui meu trabalho em um supermercado porque tenho cidadania espanhola, não tenho dúvidas. Conheci em Galway um casal brasileiro na faixa dos 40 anos que sempre ajudam estudantes brasileiros. Na verdade a Flávia conheceu a esposa e o marido trabalhava neste supermercado, mas como só contratavam europeus consegui a oportunidade porque tinha a cidadania espanhola.

Demorei 2 meses de procura para conseguir esta oportunidade, isto com o passaporte espanhol. Dos brasileiros que conseguiam emprego em Galway vi que o mais comum era segurando placas, por exemplo, dos 10 brasileiros que conheci e que precisavam trabalhar 7 seguravam placa e os outros trabalhavam com outras coisas. Acredito que em Galway esta é a forma mais fácil de conseguir ganhar um dinheiro, a única desvantagem era a pouca quantidade de horas.

A vaga que consegui no supermercado também era para período integral e se eu não tivesse a cidadania espanhola não poderia ter pegado a vaga. Todos brasileiros que precisavam trabalhar conseguiam algo, mas é  realmente uma minoria que consegue trabalho sem ser segurando placas em Galway.

Flávia – Eu só fiz alguns bicos como cleaner, com limpeza, e estava bem puxado já que os horários eram bem intensos. Quando eu estava trabalhando com isso o Ricardo não estava trabalhando, mas logo que ele conseguiu o trabalho no supermercado a gente conseguiu balancear.

Como ele era um empregado registrado eu fazia um trabalho de cleaner fixo e quando aparecia uma oportunidade ou outra como eu ia fazer. Mandei bastante currículos, mas tive dificuldade em conseguir algo registrado tive até ajuda dos meus pais para poder me manter aqui.

Na sua opinião pessoal quanto um casal de estudantes gastava em média por mês de intercâmbio?
Ricardo e Flávia – Morávamos em uma casa que dividíamos com uma coreana, um mexicano e uma brasileira. Como queríamos economizar bastante para poder fazer uma viagem legal no final da nossa experiência estávamos gastando por volta de €800 por mês para nós dois, o casal.

Você teve algum problema ou sentiu preconceito aqui na Irlanda?
Ricardo –  Não.
Flávia
– Não. Sempre que falávamos que éramos brasileiros éramos bem recebidos.

Você gostaria de dar uma dica ou conselho para quem está vindo para a Irlanda?
Ricardo e Flávia – Sim, especialmente para quem vai ficar mais tempo, entre 6 meses e 1 ano. Não exagerem na bagagem.

Não é porque você tem direito de levar duas malas de 32kg que você precisa de tudo isso. Não levem roupas de frio para a Irlanda. Leve um casaco bom, pois levamos muitas roupas que acabamos deixando na Irlanda porque não eram adequadas, alem disso há muita coisa mais barata lá. Por exemplo, compramos casacos na Irlanda entre €40/€50 que no Brasil custaria R$300,00.

Você acha que a roupa do Brasil vai te proteger, mas não vai, então não encha a sua mala de coisas porque na Irlanda o preço é mais em conta e as roupas mais adequadas pro clima da Irlanda.

Você acredita que a experiência de viver fora valeu a pena? Como esta experiência está presente na sua vida hoje?

Ricardo – Valeu a pena total, faria tudo de novo sem tirar nem por. O principal, além do aprendizado de inglês, foi elucidar alguns preconceitos sobre pessoas, culturas, etc. e quebrar estereótipos. Na Irlanda você aprende a conhecer melhor as culturas, a conviver com as diferenças e principalmente entender as pessoas e ver que os estereótipos são todos furados. Fizemos grandes amigos coreanos, árabes, que sabemos poucas coisas ou que às vezes o que sabemos é distorcido, mas o quê imaginamos de bom do irlandês, só se confirmou.

Flávia – Valeu muito a pena e acredito que cresci bastante, aprendi muito. Aprendi a dar valor às coisas, que se eu não tivesse essa experiência, não teria notado. Hoje esta experiência se reflete de uma maneira totalmente positiva. Tenho oportunidade de trabalhar em uma empresa onde tenho contato diário com o inglês. Hoje eu não levo a vida tanto a sério, sou mais paciente e estou mais tranqüila. O contato com outras pessoas e culturas foi muito gratificante. Sou mais confiante, segura e tudo é fruto dessa experiência, as coisas boas e os perrengues que você sobrevive fazem você crescer bastante.

Um coisa que sempre digo é que pra gente, como relacionamento, fizemos um teste, passamos pelas dificuldades juntos e superamos, então se você tem a oportunidade em ter esta experiência em casal, vá fundo.

Ricardo e Flávia obrigada por compartilhar a experiência que vocês tiveram em Galway conosco! Desejo muito sucesso e quem sabe um retorno à Irlanda para matar a saudade!

 

GCI – Galway Cultural Institute
Galway Cultural Institute House
Salthill
Galway
www.gci.ie

Postado por: | Comments (46)

46 Comments »

  1. Excelente entrevista Tarsila!!! Parabéns!! Ver como as pessoas estão após a experiência nos faz ter mais confiança em fazer o intercâmbio.

    Obrigado e abração!!!

    Comentário by Milton Lima — 02/01/2013 @ 3:14 pm

  2. Olá Milton!

    Muito obrigada pelo carinho e comentário! Fico feliz em poder ajudar!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2013 @ 9:49 pm

  3. Tarsila, adorei a entrevista! Eu tb tenho cidadania européia e gostaria MUITO do contato do Ricardo para poder tirar umas dúvidas com ele… seria possível? É dificil encontrar casos como o dele, ao menos não encontrei nenhum…

    Por favor! E obrigado!!

    Comentário by Rick — 02/01/2013 @ 3:53 pm

  4. Olá Rick!

    Obrigada pelo comentário. Infelizmente não passo mais o contato dos meus entrevistados, mas recomendo que dê uma procurada nele pelo Facebook. 😉

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2013 @ 9:50 pm

  5. Super duper!
    Sempre excelente os teus temas. Tú é muito profissional guria… tá até gosto de ler e querer ser profissional como vc.
    Bjao e excelente 2013 🙂

    Comentário by Jackson Pires — 02/01/2013 @ 8:04 pm

  6. Olá Jackson,

    Muito obrigada pelo carinho! É um prazer escutar que sou muito profissional, fiquei até sem graça! 🙂
    Fico feliz que você tenha se inspirado e o que eu faço com o Vida Na Irlanda é dedicação, então, vá atrás!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2013 @ 10:01 pm

  7. Tarsila e seus textos perfeitos ! haha
    Adorei e não adorei a entrevista… adorei pq fiquei mto feliz por eles por tudo ter dado certo. Não gostei pq a minha dúvida já aumentou e muito sobre qual escola estudar na Irlanda. Já ouvi falar que em Galway é mto bom ! =D
    Felicidades a todos !

    Comentário by Bruno Moreno — 02/01/2013 @ 11:09 pm

  8. Olá Bruno,

    Ah, muito obrigada pelo carinho, de verdade!
    Espero que, independentemente da sua indecisão, você aproveite a experiência por aqui, seja onde for!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2013 @ 10:02 pm

  9. Olá Tarila!
    Encontrei seu site logo nas primeiras pesquisas quando decidi pelo intercâmbio e acredita que já o li por inteiro?A curiosidade falou mais alto. Agora estou reorganizando minhas pesquisas e relendo o que mais me interessa e me chamou atenção. Parabéns por todas as postagens/dicas….são muuuuuuito válidas.
    Meu plano é chegar por aí em setembro/2013 para passar 1 ano e agora estou tentando escolher a escola. Você conhece a escola Academic Bridge College – AB College????? Encontrei postagens sobre essa escola apenas no “E-Dublin” e gostaria de conhecer alguém que tenha experiência com a mesma.

    Agradeço desde já a atenção!!!!

    Comentário by Ceiça Ribeiro — 03/01/2013 @ 3:30 am

  10. Olá Ceiça!

    Cheguei! Ufa! 🙂
    Que legal que você já leu tudinho (UAU!) fico muito feliz!
    Infelizmente não conheço a AB College (aliás, todos os dias vejo novas escolas por aqui) e vou procurar alguém para entrevistar sim! Desculpe não poder ajudar agora, mas aguarde!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 28/02/2013 @ 10:04 pm

  11. Olá Tarsila, parabéns pela entrevista e pelo seu blog que é excelente. E meus parabéns ao casal, fiquei muito feliz quando li a entrevista, pois passamos boa parte dessa experiência juntos. E me fez lembrar de como foi tudo maravilhoso!!!

    Abraços!

    Comentário by Filipe Civolani — 03/01/2013 @ 4:02 pm

  12. Olá Filipe!

    Muito obrigada pelo carinho e comentário. Achei muito legal que vocês compartilharam desta experiência e espero que levem essa experiência de vida com muita alegria.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/03/2013 @ 9:55 am

  13. Boa tarde!

    Tarsilia gostaria de parabeniza-la, venho acompanhando suas postagens, são ótimas!
    Principalmente para as pessoas, que como eu, tem interesse em fazer um intercâmbio desses, porém tem seus receios, medos e dúvidas. Suas reportagens nos dá um incentivo maior.
    Gostaria muito de ter uma experiencia dessas, porém o meu inglês é o BASICÃO. Tenho medo de ter muita dificuldade em um país estranho.
    A intenção é fazer um curso de 6 meses em uma dessas escolas indicadas, e procurar um emprego melhor aqui no Brasil….
    Queria saber se alguém tem planos de ir pra Irlanda ainda este ano, para que eu possa trocar experiencias,sanar dúvidas, e assim me organizar pra ir tb… Meu e-mail é nathy.santos87@gmail.com.

    Obrigada!

    Comentário by Nathalia — 03/01/2013 @ 5:11 pm

  14. Olá Nathalia,

    Obrigada pelo comentário e carinho. 🙂
    Espero que tenha conseguido contatos, mas de qualquer jeito o “medo” é parte da experiência, afinal de contas tudo é desconhecido. Não tenha receio de arriscar, mas já que você sabe que o seu inglês precisa dar uma melhorada eu recomendo que você estude bastante inglês antes de sair do Brasil, faça o que puder para aprender o máximo, assim quando surgirem desafios (e sempre surgem, independentemente do domínio da língua) você se sentirá mais confiante e segura para lidar com as situações. 🙂

    Espero ter ajudado!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 01/03/2013 @ 10:00 am

  15. Oi, Tarsila! Feliz 2013!
    Que maravilhoso chegar de viagem e entrar no Vida na Irlanda e dar logo de cara justamente com a escola que vou embarcar daqui a dois meses! Adorei a entrevista, muito obrigada!
    De quebra, gostaria de fazer uma sugestão justamente para os estudantes que, como eu, não irão estudar em Dublim mas em cidades ao redor, como Galway. Gostaria de sugerir que falasse um pouco das formas de transporte entre o aeroporto até a estação de trem e de ônibus que vão para outras cidades da Irlanda!

    Obrigada e abraços!

    Comentário by Melina — 03/01/2013 @ 5:17 pm

  16. Olá Melina!

    Uau, você já deve estar aqui ou chegando, de qualquer jeito – seja bem-vinda!
    É um prazer poder ajudar.
    Vamos lá:
    Galway tem estação ferroviária e rodoviária e aeroporto, contudo normalmente os vôos de/para Brasil saem de Dublin e tem conexão até Galway. (aprox. 3 horas de viagem entre Dublin e Galway). Veja este artigo: http://www.vidanairlanda.com/2011/09/se-virando-em-dublin-onibus-para-o-aeroporto.html

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 01/03/2013 @ 10:04 am

  17. Olá Tarsila !
    Tudo bem? Espero que sim, primeiramente queria parabeniza-la pelo Blog ele é muito bom e tento divulga-lo para o maior numero de pessoas que consigo, é muito dificil achar blogs que possuem um conteudo tão bom quanto o seu, parabéns!
    Eu não sabia a onde escrever isso então resolvi escrever aqui pois foi o ultimo post que você escreveu e por que também pretendo estudar em Dublin com a minha namorada no meio desse ano, só que ele tem um filho de um ano de idade. Pergunta. Você acha que teremos algum problema com o governo Irlandês por sermos estudantes e levarmos uma criança conosco?
    Você conhece algum site a onde posso encontrar creches de meio periodo?

    Por favor, me ajude. O que você conseguir me passar de informação vai ajudar baestante.

    Obrigado !

    Comentário by Caio Ferreira — 03/01/2013 @ 7:37 pm

  18. Olá Caio,

    Obrigada pelo comentário e carinho. 🙂 Obrigada também por divulgar o Vida Na Irlanda, de coração!

    Vamos lá: Infelizmente sim. O visto de estudante para cidadãos brasileiros não permite que os mesmos tenham dependentes, deste modo não é possível que com o visto de estudo vocês tragam a menina, infelizmente. Este é o modo como funciona a lei da Irlanda e não é possível fazer de outro modo.

    Espero ter ajudado

    Comentário by Tarsila — 01/03/2013 @ 10:06 am

  19. Tarsila, se possível entreviste alguém da Academic Bridge (AB College). Obrigado

    Comentário by Thiago Torres — 04/01/2013 @ 1:19 pm

  20. Olá Thiago,

    Já estou organizando um contato! Aguarde!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 04/03/2013 @ 12:50 pm

  21. Olá, comecei a pensar em intercambio com curso de inglês e vi que na Irlanda há preços muito interessantes.
    Vi o post da escola Leinster que é bem interessante mas não achei sobre a Limerick International Study Centre, alguma informação que não achei?!
    Pois os preços são bons também!

    Obrigada

    Comentário by Nathalia — 07/01/2013 @ 12:11 pm

  22. Olá Nathalia,

    Obrigada pelo comentário.
    Eu não tenho nenhuma entrevista com um aluno da Limerick International Study, até porque ela fica em Limerick e logisticamente fica um pouco difícil para eu entrevistar alguém de lá, mas vou ficar de olho!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/03/2013 @ 6:18 pm

  23. Pessoal,

    Estou indo para Dublin no final desse mês, dia 27/01.
    Vou estudar na ECM College e quem estiver indo no mesmo período e quiser trocar emails para trocar experiências, informações, etc, anota meu email ai: vinicius_milani@hotmail.com

    Tks!

    Comentário by Vinícius — 07/01/2013 @ 12:51 pm

  24. Olá Vinícius,

    Como foi a viagem? E o primeiro mês na Irlanda?
    Espero que esteja gostando! Deixe aqui um pouquinho da sua experiência!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 11/03/2013 @ 6:20 pm

  25. Olá Tarsila, irei para Galway em Janeiro/2014
    Como trabalho no Brasil, farei o curso de 01 mês na GCI – Galway, e ficarei em casa de Família.
    Decidi ir pela escola, realmente sai mais em conta, e é praticamente a mesma coisa.
    Gostaria de ter mais informações sobre a escola, e algumas dicas de Lugares para visitar na Irlanda, afinal um mês é pouco.. 🙁

    Sei que muitos brasileiros, procuram não ter contato com outros pra assim poder praticar melhor o inglês, porém como irei passar somente um mês, e vou chegar praticamente “crua” no inglês, gostaria de saber se vc pode me indicar algum brasileiro que possa me nessa adaptação, conhecer lugares, até eu conseguir me comunicar normalmente, que eu espero que seja em 01 semana, assim negociaremos um valor para esse serviço, e eu não perderia uma semana, das minhas quatro em casa.

    Ficaria muito grata com a ajuda!

    E quem quiser entrar em contato aqui vai meu email: josi__maia@hotmail.com

    Comentário by Josiane — 09/01/2013 @ 3:23 pm

  26. Olá Josiane,

    As escolas que oferecem cursos de 1 mês já tem toda uma programação especial para que você aproveite cada minuto, ou seja, participe de festas, atividades, passeios, etc. Você com certeza encontrará companhia! 🙂 Pode ficar tranquila que para “sair e aproveitar” só depende de você! 🙂

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 12/03/2013 @ 11:52 am

  27. Bom dia Tarsila, estou com muita vontade de ir para CES, porêm quase no ultimo dia antes de fechar com a agencia BFA Intercambio, acabei encontrando varios relatos de que a agencia não é tão confiavel quanto imaginei.
    Poderia me ajudar a encontrar pessoas que ja contrataram o serviço da BFA Intercambio ou contato de alguem direto da CES para tentar fechar direto com eles?

    Muito Obrigado mesmo, estou ansioso por isto
    Att
    Sergio

    Comentário by Sergio — 20/02/2013 @ 1:05 pm

  28. Olá Sergio,

    A entrevista que fiz com o aluno da CES inclusive veio pela agência BFA, veja aqui:http://www.vidanairlanda.com/2011/11/estudar-na-irlanda-centre-of-english-studies-ces.html

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 09/05/2013 @ 9:26 pm

  29. Olá amigos do vidanairlanda. Eu estou indo para Dublin no fim deste ano e gostaria muito de saber referências da escola IBSD. Eles estão com um preço super em conta, mas eu não estou encontrando referências. Se alguém as tiver eu agradeço. Podem me responder no meu mail rickgarcia123@hotmail.com. Valeu

    Comentário by Ricardo — 25/02/2013 @ 1:00 pm

  30. Olá Ricardo!

    Infelizmente ainda não tive a oportunidade de entrevistar um aluno da Irish Business School Dublin – IBSD, mas ficarei atenta e assim que puder faço uma entrevista sim. Desculpe não poder ajudar mais.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 13/05/2013 @ 6:45 am

  31. Olá amigos do vida na Irlanda, me chamo Ricardo e gostaria de referências da escola Irish Business School Dublin (IBSD), se alguém tiver eu agradeceria muito. Aqui meu e-mail de contato para se alguém tiver como me passar informações a respeito desta escola : rickgarcia123@hotmail.com.

    Muito obrigado!

    Comentário by Ricardo — 04/03/2013 @ 12:39 pm

  32. Olá Ricardo,

    Obrigada pelo comentário. Ainda não tenho referências sobre a Irish Business School Dublin (IBSD). Assim que puder farei uma entrevista com um aluno, combinado?

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 16/05/2013 @ 11:16 am

  33. Muito legal a entrevista! Parabens!

    Não é muito facil encontrar materias a respeito de Galway, ao contrario de Dublin.
    Vou para Galway em Agosto/2013, onde ficarei no minimo 6 meses. Estudarei na Galway Cultural Institute e foi muito bacana ler esta entrevista.

    Abraços

    Comentário by Fernando — 15/03/2013 @ 10:58 pm

  34. Olá Fernando,

    Obrigada pelo comentário. Sei bem disto, afinal de contas a maioria dos intercambistas está na capital esmo. Fico feliz em poder contribuir e sempre que puder farei novas entrevistas!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 17/05/2013 @ 6:44 am

  35. Olá, gostaria de saber se vc sabe alguma coisa sobre a cidade de Limerick e a escola de inglês de lá, vc saberia me dizer se lá há muito sotaque de interior? Queria ir pra lá, mas tenho medo de o sotaque ser muito forte e atrapalhar meu aprendizado do inglês. Se vc tiver alguma informação me responde, por favor… Obrigada.

    Comentário by Aline — 16/05/2013 @ 9:15 pm

  36. Olá Aline!

    Infelizmente não moro na cidade de Limerick e portanto não posso dar detalhes sobre como é a vida por lá. O sotaque da Irlanda é diferente dos padrões que se ensinam no Brasil como “Americano” ou “Inglês”. Recomendo que você leia este artigo: http://www.vidanairlanda.com/2013/02/o-sotaque-irlandes-e-um-problema.html

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 26/07/2013 @ 9:36 am

  37. Ola Tarsila,
    Muito bom ter encontrado seu site (estamos bitolados não paramos de ler), nos ajuda muito a ter informações que nos outros nao tem.
    Adorei a entrevista do Ricardo e da Flavia, porque tambem somos um casal de brasileiros (com cidadania europeia), atualmente estamos morando e trabalhando em Madri, mas nossa etapa aqui esta no fim e temos vontade de irmos para Galway para aprender ingles antes de voltarmos para o Brasil.
    Acreditamos que vc mereça muito mais que parabens pelo seu site….realmente é muito mais!!!
    Besitossss

    Comentário by Silvana e Tiago — 07/06/2013 @ 12:28 pm

  38. Olá Silvana e Tiago!

    Muito obrigada pelo carinho e comentário, é realmente um prazer poder ajudar contribuir e espero que a próxima etapa em Dublin seja muito boa! Boa sorte aos dois!

    Beijos com trevos!

    Comentário by Tarsila — 05/08/2013 @ 1:28 pm

  39. Olá Tarsila tudo bem?

    Estou programando um Intercâbio para Galway (Galway Cultural Institute) e pretendo fazer o mesmo que nossos amigos Ricardo e Flávia: estudar 06 meses e viajar mais 6 (trabalhando neste período).
    Tenho reservado um dinheiro para fazer isso que gira em torno de 20 mil reais, gostaria de saber se com esta quantia eu conseguiria viver por ai pelo menos pelo período de 06 meses, ganhando alguns trocados trabalhando…lembrando que tenho fluencia no idioma Inglês, mas não tenho cidadania espanhola hehe.

    Desde já muito Obrigado.
    Abraços

    Comentário by Feliphe — 20/06/2013 @ 3:24 pm

  40. Olá Feliphe,

    Comigo tudo bem e com você?
    Vamos lá: Depende da cotação do Euro em relação ao Real, que é variável. Hoje em dia com o valor em alta não é possível, mas se você conseguir um emprego de meio-período aqui você consegue se manter sim. 🙂

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 08/08/2013 @ 12:07 pm

  41. Tarsila,
    Parabéns pelo site! Eu e meu marido estamos em busca de um curso “general english”, a principio em Londres, que já conhecemos, mas os custos são altos e, de fato, é brasileiro pra td lado. Só poderemos passar 1 mês viajando entre dez-2013 e jan-2014. Você nos indica alguma escola na Irlanda em especial (com custos razoáveis)? Você acha q teríamos dificuldade quanto à acomodação em casa de família já q somos casados? Poderia me passar o contato do Ricardo e da Flávia? Desde já te agradeço pela ajuda.
    Karine.

    Comentário by Karine — 24/06/2013 @ 1:21 pm

  42. Olá Karine,

    Obrigada pelo carinho e comentário.
    Infelizmente eu não indico escolas pelo simples fato de não estudar em nenhuma delas. Não posso dizer qual é melhor ou pior já que os critérios de escolha de cada aluno são muito particulares, por isto entrevisto diferentes alunos de diversas escolas para que eles mesmos possam dar a opinião de como é estudar lá.
    Para encontrar uma opção que esteja alinhada com seus objetivos veja os posts da categoria “Estudar na Irlanda” – http://www.vidanairlanda.com/category/estudar-na-irlanda

    Infelizmente não passo o contato dos meus entrevistados a pedido dos mesmo, espero que compreenda.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/08/2013 @ 12:17 pm

  43. Olá Tarsila, tudo bem?
    adoro seus posts e entrevista ajudam muito quem está inseguro em relação onde estudar e em qual escola estudar, você conseguiria a contato do Ricardo e da Flavia?

    abraço

    Comentário by Ricardo — 24/10/2013 @ 2:00 pm

  44. Olá Ricardo,

    Infelizmente não passo mais os contatos dos entrevistados por pedido dos mesmos. Desculpe não poder ajudar mais.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 14/05/2014 @ 9:11 am

  45. Bom dia,
    Estou me programando para um intercâmbio em Galway, por 6 meses e gostaria de estudar na GCI, porém as agências que entrei em contato me informam valores bem diferentes do curso de inglês geral, chegando a uma diferença de 1000,00 euros. Alguém saberia me informa o contato direto da GCi para ue eu possa saber o verdadeiro valor do curso ? Obrigada !!!!!

    Comentário by Gabriela — 10/01/2014 @ 1:18 pm

  46. Olá Gabriela!

    No final da entrevista acima há o nome, endereço e site da GCI. Entre em contato com eles para obter mais informações.

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 19/05/2014 @ 12:13 pm

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.