01/08/2013

Vida em Sligo com Rick Martins

A maioria dos artigos e entrevistas do Vida Na Irlanda se focam em Dublin, a capital do país e o destino mais procurado por quem pretende passear, viver e estudar na Irlanda. Quando posso busco entrevistar e mostrar outras partes da Irlanda como por exemplo a entrevista que fiz com estudantes de Galway e também através da categoria “Conhecendo a Irlanda”.

Hoje venho trazer para vocês uma entrevista diferente que conta a história de um rapaz super nota 10 que veio para a Irlanda e atualmente reside em Sligo, Co. Sligo.

Lhes apresento…O RICK!

10_Rick_sligoO Rick é de Bauru – SP e queria estudar no exterior desde pequeno. Foi então no ano passado que ele tomou a decisão de vir para a Europa pois obteve dupla cidadania, brasileira e italiana, e considerando que ele buscava ter uma experiência em um país de língua inglesa ele optou pela Irlanda, especialmente pelo baixo custo em relação à Londres, o destino que contemplava. Com uma história muito interessante e recheada de coisas do destino o Rick acabou aportando em Sligo. O que ele está achando de tudo isso? É só continuar lendo…

Qual é o seu nome e idade?
Rick Martins, 23 anos.

Por que você escolheu sair do Brasil?
Rick – Escolhi sair do Brasil porque queria melhorar meu inglês e sempre tive esta vontade. Quando terminei minha faculdade e não estava feliz com meu emprego, que era como Assistente de Mídias Sociais. Decidi então fazer pós-graduação em Comunicação Empresarial e tranquei os últimos seis meses do curso para vir para a Irlanda.

Como surgiu a idéia de vir para a Irlanda?
Rick – Vim para a Irlanda para viver mesmo já que eu tenho a cidadania européia e queria ver, comigo mesmo, se eu seria de fato um europeu na Europa. Tenho também o objetivo de desenvolver meu inglês para poder progredir profissionalmente.

Quando você chegou na Irlanda?
Rick – 1 de fevereiro de 2013.

Você optou por vir para a Irlanda sem a assistência de uma agência. Como foi esta experiência?
Rick  – Estava planejando em vir para a Irlanda quando a primeira carta da cidadania italiana chegou para mim no Brasil, então tive tempo para juntar dinheiro por 1 ano e procurar todas as informações que eu precisava online, especialmente em blogs. Eu comprei a passagem aérea por minha conta e a escola fechei depois que cheguei em Dublin porque sou cidadão europeu. Nem tive de ir na imigração me registrar e isto foi uma grande vantagem.

Que tipo de acomodação você escolheu? Como foi esta experiência?
Rick  – Eu optei por encontrar uma acomodação enquanto estava no Brasil e fechei um acordo através do DAFT com um irlandês. Ele me disse que a acomodação era perto do centro, apenas um ônibus de distância, mas não imaginei que ficava a 1:10h do centro! Nem imaginava que Dublin era tão grande, bem maior do que esperava.

Você tem cidadania italiana. De que forma ter a cidadania européia contribuiu e contribui para você buscar seus objetivos na Irlanda?
Rick
 –  Acho que em tudo. Primeiramente na imigração, escolhi viajar pela British Airways fazendo conexão em Londres, uma das rotas mais temidas pelos brasileiros por medo de deportação. Desci no aeroporto de Heathrow e peguei meu vôo no aeroporto de Gatwick, ou seja, entrei no Reino Unido sem problema nenhum. Quando cheguei em Dublin passei pelo oficial da imigração na fila de cidadãos da União Européia (EU) recebendo um simples “welcome” e não fui questionado sobre nada, também notei que na outra fila (non-EU) havia bastante brasileiros.

Também senti diferença em ter a cidadania européia ao procurar empregos e mandar currículos. Mandei para bastante vagas e sempre recebia retornos enquanto amigos meus brasileiros não recebiam. Cheguei a fazer 15 entrevistas, mas não é tudo crédito da cidadania pois vejo bastante espanhóis e italianos que não tem inglês e nem um bom CV e que não conseguem emprego, meu CV me ajudou porque tenho um portfólio bacana e inglês acima do intermediário.

Nesta busca de trabalho quis me focar nas coisas que sei fazer no Brasil porque no dia-a-dia poderia usar os mesmos termos da minha área, viver no mesmo universo. Queria poder conversar em inglês e defender o que eu faço também em inglês.

O que você fazia profissionalmente no Brasil e o que faz na Irlanda?
Rick  – No Brasil trabalhava como Assistente de Mídias Sociais e como Designer e aqui estou fazendo praticamente a mesma coisa que fazia no Brasil, mas também trabalhei em um café.

Quando trabalhei no café foi muito diferente, porque foi algo que eu nunca tinha feito no Brasil e não sabia nem mesmo o nome de uma faca especial em português, quanto mais aqui em inglês. Foi bom ter encontrado outra oportunidade, ainda mais na minha área.

Muitas pessoas tem medo de não conseguir um trabalho na Irlanda. Como foi e está sendo esta experiência para você?
Rick  – Cheguei em Dublin cheio de sonhos, metas e planos, mas as coisas não seguiram muito o roteiro que planejei. Pra começar, eu imaginei que por ter a cidadania italiana e um inglês razoavelmente acima da média eu conseguiria um emprego ótimo rapidinho e não foi bem assim.

Passei por algumas poucas e boas até conseguir meu primeiro emprego, que foi em um café. Foi durante esta experiência que fiz uma entrevista para um emprego na minha área e fui aceito. Eu nem acreditei, contudo havia um grande porém porque eu precisaria me mudar de Dublin.

Eu tinha escolhido vir para a Irlanda para ter uma nova vida e um novo trabalho e considerando que não pensava em fazer carreira na área eu recusei a oferta, mas a empresa insistiu e antes de eu dar minha resposta final eu fui demitido do café. Como eu estava desempregado e com uma proposta na minha área eu escolhi aceitar e me mudei para Sligo, uma cidade na costa oeste da Irlanda. Me lembro que no caminho que eu só pensava: “O que é que eu estou fazendo me mudando pra uma cidade minúscula na Irlanda?”, mas depois que cheguei me apaixonei pela cidade e também quis continuar estudando inglês.

Acredito que conseguir um emprego não é uma tarefa fácil e pode demorar 1, 2, 3 meses ou mais. Se você mantiver seu foco, mandar currículos e buscar oportunidades sempre todos os dias você consegue. Não adianta esperar a vaga aparecer, porque o que faz a oportunidade é a força de vontade.

Como foi a experiência de estudar inglês em Dublin e depois em Sligo?
Rick  – Não abri mão de estudar inglês na Irlanda, mesmo tendo a cidadania européia e depois de ter estudado inglês no Brasil. Hoje não imagino minha vida em Dublin só procurando emprego.

Quando cheguei na Irlanda fui procurar uma escola para estudar depois de duas semanas que já estava aqui. Na época eu morava com irlandeses e recebi elogios sobre o meu inglês. Acabei estudando 1 mês em Dublin, mas depois que escolhi mudar de cidade procurei um lugar para estudar e encontrei a escola Native Speaker em Sligo onde estou fazendo o curso preparatório para o exame de Cambridge FCE.

A escola funciona dentro da Universidade IT Sligo e acho isto muito interessante porque posso usar tudo da universidade: cantina, biblioteca, etc. e acabo tendo contato com os estudantes, bastante irlandeses e europeus, que estão lá no mesmo horário das minhas aulas.

Qual é a sua opinião sobre as aulas na Native Speaker em Sligo? E sobre os professores?

Rick  – A Native Speaker oferece o curso de inglês avançado no período da manhã e pela noite há um curso preparatório para exames. Meu professor é muito bom e muito legal. Ele canta nas aulas, dança e sai da sala e volta, tem um inglês bom e fácil de entender e estou gostando bastante. A aula é preparada no computador e ele manda o resumo para a gente por e-mail então existe o esforço de ensinar a gente de uma maneira diferente. Na minha sala há 4 pessoas, eu e três espanholas, e ele fica pegando no meu pé para eu melhorar minha pronuncia. Acho isto muito bom.

Na sua opinião pessoal, quais são as diferenças entre o estudo na Irlanda e no Brasil?

Rick  – A grande diferença é a prática. No Brasil fiz o curso inteiro de inglês do CNA que dura 5 anos, mas nunca de fato pratiquei.

Eu lia livros em inglês, assistia filmes sem legenda de vez em quando, mas não via avanço, porque eu tinha vergonha e no Brasil tinha amigos que eram fluentes em inglês e tinha a impressão de que eu seria piada, mas aqui na Irlanda vejo que a diferença não é a escola. Aqui aprendi algumas coisas que os irlandeses falavam, mas não aprendi nada novo de gramática, estudei só para dar uma destravada. Os caminhos que trilhei na Irlanda até agora me permitiram praticar mais e em Sligo eu não uso português nunca, a não ser com amigos e com minha mãe, mas tenho muito contato com europeus. No Brasil tive a base e aqui meus conhecimentos estão se ampliando.

O que você acha do contato com outros brasileiros na Irlanda?
Rick  – No começo tinha mais contato e acho legal por ser brasileiro, mas tem gente que esta aqui que quer trazer o Brasil para a Irlanda, porque acha que a Irlanda não tem muito a oferecer. É uma pena porque esta pessoa acaba não conhecendo nada da Irlanda, só fica no centro, nas áreas conhecidas, só quer comer feijoada no The Mezz, só quer sair na Dicey’s, no pagode, no sertanejo.

Eu não quero este contato limitado, quero conhecer mais. Tenho amigos que são da minha área que tem outras experiências, que esta dando palestras na Universidade Nacional da Irlanda em Maynooth. São pessoas que eu não teria a chance de conhecer se só ficasse fechado. Eu busco aproveitar as oportunidades que tenho aqui.

Como é o contato com nativos em Sligo?
Rick  – No centro de Sligo há muitos irlandeses e na empresa onde trabalho também, por exemplo, temos reuniões semanais e tem dia que fico frustrado quando eles conversam entre si porque eu não entendo tudo o que eles estão falando, mas tenho praticando muito até porque tenho de lidar com um contado de uma agência em Galway.

Na sua opinião pessoal, qual é o custo de vida por mês em Sligo ?
Rick  – Gasto muito pouco. Alugo um quarto pequeno só para mim com eletricidade e internet banda larga e pago €180/mês. Meu pagamento é feito por semana e gasto mais ou menos €30 com comida cozinhado para mim. Eu não como fora em Sligo mas como o que quero. Como não uso ônibus, não gasto com transporte. Meu total mensal fica por conta de €300, incluindo compras de várias coisas como livros, roupas, etc. Em Sligo também tem Penney’s, Dunnes Store, River Island, Pull and Bear, um Shopping Center e um cinema com 12 salas.

O que você mais gosta e menos gosta de Sligo, Dublin e da Irlanda?
Rick  – Em Sligo eu gosto muito da calmaria, porque não sou de sair e gosto de ver filmes. Em Sligo tenho uma rotina e é bom, mas quando quero fazer algo mais diferente, não há muitas opções.

Em Dublin o que eu mais gosto é da imensa possibilidade de fazer muitas coisas culturais, mas não gosto de ter de pegar o ônibus para voltar mais cedo ou então ter de usar o Nightlink para voltar para casa.

Sobre a Irlanda eu geral o que eu mais gosto é da história do país e das paisagens e honestamente até agora não há nada que eu não goste.

Como você vê a mudança entre quem você era quando chegou na Irlanda e agora?
Rick  – Cresci muito. Minhas preocupações daqui e do Brasil são diferentes. Aqui me preocupo se tenho comida em casa, como tenho de programar minha compra e para mim isto é novidade, pois eu morava com minha mãe. Aqui na Irlanda tenho de pagar minhas contas e lavar minhas roupas então apanhei muito quando cheguei. Várias coisas deram errado, minha casa, meu emprego e fui até mandado embora, mas surgiu uma nova oportunidade e experiência. Talvez no Brasil eu não reagiria a estas coisas como fiz aqui. Imagine que quando eu cheguei em Sligo eu só tinha minha acomodação e €40 no bolso.

Tenho muito orgulho de tudo que aconteceu comigo, porque isto permitiu que eu me conhecesse melhor como pessoa, eu passei mais tempo comigo mesmo e cresci. Parece clichê mas é verdade. Sozinho em Sligo com flatmates e colegas de trabalho de outras nacionalidades eu sou eu e estou aqui muito por mim.

Como você acredita que a experiência na Irlanda vai influenciar no seu retorno ao Brasil?
Rick  – Acredito que sim, especialmente na minha área de trabalho. Depois de um intercâmbio já está subentendido que você tem um inglês legal e um empregador vê você com melhores olhos, como alguém que se virou e cresceu como pessoa. No meu caso será muito melhor porque estou tendo uma experiência na minha área e acho que vai fazer toda a diferença.

Você gostaria de dar uma dica ou conselho para quem está vindo para a Irlanda?
Rick  – Pesquise muito sobre a Irlanda. Conheci muita gente aqui que chegou, passou mais de um ano na Irlanda e não conhece nada do país. Vá além do fato de que a Irlanda fica na Europa e que só os outros países valem a pena serem conhecidos. Entenda a cultura e o país a fundo.

E uma diferença que percebi entre Sligo e Dublin é que em Dublin não tive tanta moral com os irlandeses, pois eu era mais um estrangeiro entre muitos, parte de um grupo maior. Se você é estrangeiro em uma cidade grande e cheia de estrangeiros, não fará nenhuma diferença.

Em Sligo não é assim, mas nem é pelo fato de eu ser brasileiro, mas porque sou alguém diferente. Em Sligo noto que os irlandeses se preocupam mais, ajudam mais e como a cidade é pequena a receptividade é diferente.

Muito obrigada Rick por compartilhar a sua experiência e na Irlanda e desejo do fundo do coração muito sucesso para você! Para quem quer conhecer mais sobre as peripécias do Rick em Sligo, confira o blog dele Livin’ La Vida…Rick!

 

Postado por: | Comments (8)

8 Comments »

  1. Muito interessante a entrevista! Parabéns!

    Comentário by Adalberto Junior — 01/08/2013 @ 8:50 pm

  2. Olá Adalberto!

    Obrigada pelo comentário!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 08/05/2014 @ 3:14 pm

  3. Gente, Rick tá famoso! Adorei!

    Comentário by Bárbara — 02/08/2013 @ 12:38 pm

  4. Oi Bárbara!

    Obrigada pelo comentário!

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 09/05/2014 @ 8:54 am

  5. Acompanho o blog do Rick e achei a entrevista muito boa! quanta maturidade para um menino tão novo! desejo mais sorte para você Rick e quero ter o prazer de conhece-lo ! parabéns Tarsila pela entrevista!

    Comentário by caroline junqueira — 03/08/2013 @ 11:49 am

  6. Olá Caroline!

    Obrigada pelo carinho e assim como você sempre na torcida para que todos tenham uma ótima experiência aqui.

    Beijinhos

    Comentário by Tarsila — 09/05/2014 @ 8:58 am

  7. Estou indo pra Sligo dia 27, vou estudar inglês em IT Sligo, a cidade é muito pequena ? estou com um pouco de medo disso…
    eu não vi nenhum post sobre VTM, vocês usaram ?

    Comentário by Irlane — 04/08/2013 @ 7:08 pm

  8. Olá Irlane!

    Recomendo que você dê um pulo no blog do Rick (acima) pois ele mora em Sligo e com certeza tem artigos e fala sobre a experiência de viver na cidade.

    Espero ter ajudado!

    Comentário by Tarsila — 09/05/2014 @ 9:00 am

Leave a comment

Comentários que não contribuem para o tópico acima serão deletados.